>> Varejo

Tecnologia pode ajudar o varejo no combate ao crime organizado

Por: Redação, ⌚ 13/06/2022 às 11h28 - Atualizado em 14/06/2022 às 11h43

Com o aumento do número de roubos em lojas e centros de distribuição, os varejistas brasileiros podem contar com soluções tecnológicas sofisticadas e unificadas na nuvem, para monitorar e prevenir futuras ocorrências, bem como munir as forças policiais e judiciárias com evidências para a prisão dos ladrões  


O crescimento dos roubos em lojas e centros de distribuição é um problema significativo para muitos varejistas hoje. Os perpetradores do crime organizado no varejo não tentam mais roubar usando abordagens astutas ou sutis. Eles agora entram descaradamente nas lojas ou CDs, usando intimidação ou violência para retirar produtos e fugir antes que a polícia possa responder.


Essa realidade vem ampliando o estresse dos varejistas e seus colaboradores, especialmente porque esses roubos ocorrem em um momento no qual eles também estão lidando com muitos outros problemas, especialmente relacionados à cadeia de suprimentos e logística. Isto tem acarretado inclusive o fechamento de locais vulneráveis, tirando empregos e recursos muito necessários das comunidades que eram atendidas.



Mas, diante deste cenário adverso, os varejistas podem contar com soluções tecnológicas sofisticadas e unificadas, on premisse ou na nuvem, para ajudar a evitar ou reduzir os crimes como a Genetec Clearance, uma ferramenta colaborativa de gerenciamento de evidências.



“Os roubos no varejo dispararam nos últimos meses, entre outros fatores, pelo aumento do desemprego e redução de pessoal, inclusive de segurança, nas lojas e centros de distribuição. Mas é possível utilizar a tecnologia para garantir maior eficiência na segurança e mitigar os riscos de futuras ocorrências, principalmente porque, em função da pandemia, os funcionários estão mais receosos com a volta ao trabalho e os clientes ainda não voltaram a frequentar as lojas com a mesma frequência”, acredita Vitor Silva Martins, gerente de contas dos setores Industrial e de Infraestrutura da Genetec.


Outro fator a considerar é que, devido a preocupações de responsabilidade, os guardas de segurança contratados geralmente são instruídos a não intervir fisicamente, pois confrontar um infrator potencialmente violento é um risco para os clientes, funcionários e, potencialmente, para a reputação da marca. “Para os varejistas, os roubos vão além dos riscos normais de perda de lucratividade, tornando-se uma questão operacional e que exige cuidados para garantir a segurança dos funcionários e dos clientes, assim como com sua marca e reputação”, explica Martins. 


Com o Genetec Clearance, os varejistas conseguem fazer uma gestão colaborativa de evidências, ou seja, podem compilar informações sobre quando esses roubos ocorrem, o que é fundamental para que as equipes de segurança se organizem e definam estratégias para evitar futuras ocorrências, além de permitir que troquem experiências com outros comerciantes da mesma região, fornecendo inclusive dados para que as forças policiais atuem mais estrategicamente.


“Os varejistas que contam com esta solução para resolver o problema concordam que as evidências compiladas contam a história completa. Ao analisar as gravações em vídeo desde os roubos iniciais e rastrear onde os bens roubados são armazenados, bem como os métodos de monetização final é possível ter um caso detalhado e atuar de forma mais estratégica e assertiva”, explica o executivo da Genetec.


Segundo Martins, a solução Genetec Clearance permite que os varejistas compilem rapidamente arquivos de vídeo, análises, sistemas de reconhecimento de placas, vídeos de espectadores de telefones e postagens de mídia social em um local segura, e, ao utilizá-la, os gestores de segurança podem enviar links seguros para as partes interessadas para fazer upload de evidências adicionais para munir as autoridades policiais com imagens e arquivos confiáveis. 


“Também é possível atribuir privilégios exclusivos a usuários que precisam de acesso específico ao caso e todas as atividades são registradas de modo automático pela Clearance. Isso significa que os usuários só podem ver, adicionar ou baixar arquivos de acordo com o que suas permissões possibilitam e uma cadeia de custódia completa é sempre mantida”, detalha o executivo da Genetec. Caso as responsabilidades mudem, o administrador do caso pode adicionar ou remover privilégios de usuário a qualquer momento.

>> Panorama