>> Varejo

Relatório aponta que e-commerce deve crescer 18% em 2021

Por: Redação, ⌚ 18/02/2021 às 17h06 - Atualizado em 18/02/2021 às 17h07

Dados da companhia revelam que o varejo digital movimentou mais de R$126 bilhões em 2020, valor 68,1% maior em relação ao ano anterior


Impulsionado pelo distanciamento social, o ano de 2020 teve o maior crescimento da história do e-commerce. Os números mostram que o varejo digital virou um grande aliado dos brasileiros na hora de comprar, trazendo conforto, segurança e economia. Para 2021, a tendência é a mesma.


De acordo com a Neotrust/Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado focada em e-commerce, o varejo digital deve ter um crescimento de 18% neste ano. Em 2020, o setor atingiu o maior volume de compras da história: 301 milhões de compras foram realizadas, número que representa uma alta de 68,5% em relação a 2019.


Como resultado, o setor movimentou R$126,3 bilhões, valor 68,1% maior na comparação ao ano anterior. Apesar do crescimento, o tíquete médio sofreu uma leve queda de 0,2%, atingindo R$419,4. Os dados foram apresentados no relatório trimestral da companhia com foco total no varejo eletrônico do país e o conteúdo completo, como perfil do consumidor, região e comportamento.


Produtos mais vendidos


Analisando as categorias de itens mais comprados, os produtos de ticket médio menor foram os mais buscados pelos brasileiros, somando mais da metade do volume de vendas nas primeiras colocações. No quesito faturamento, os itens de maior valor foram os campeões. As categorias campeãs em volume de vendas foram: Moda e Acessórios, que foi responsável por 19,9% do total de pedidos realizados no período, Beleza, Perfumaria e Saúde, com 14,4% desse volume, e Entretenimento, com 12,8%, finaliza o Top3.


Já os produtos que geraram maior receita mostram que Telefonia ocupa o primeiro lugar, com 20,3% da cifra gerada no ano. Em segundo lugar está Eletrodomésticos e Ventilação (15,9% do total) e, em terceiro, Entretenimento (12,6%). As compras mostram que por conta da pandemia e isolamento social, houve um investimento maior dos consumidores em itens a serem usados em casa.


“O ano de 2020 foi de afirmação para o e-commerce. Os brasileiros estão mais confiantes em comprar online e utilizam a internet para comprar desde itens de alto valor até os mais básicos. O varejo digital continuará sendo bastante utilizado mesmo após a retomada da vida normal”, afirma Fabrício Dantas, CEO da Neotrust/Compre&Confie.

>> Panorama