>> Serviços

Arteris assegura trabalho remoto com implementação de tecnologia

Por: Redação, ⌚ 16/07/2021 às 16h33 - Atualizado em 16/07/2021 às 16h34

Concessionária conseguiu mover cerca de 1,5 mil funcionários do escritório para o home office


A Arteris provou que é possível promover trabalho flexível mesmo em empresas cujo negócio principal exija uma operação física.


Em março de 2020, a empresa moveu cerca de 1,5 mil funcionários dos escritórios e call center para o trabalho remoto com a assessoria especializada da empresa LGTi e adoção da solução Citrix Workspace para atender o plano de contingência de negócios da Arteris diante da pandemia de Covid-19. O modelo surpreendeu os gestores pela segurança e agilidade na entrega de aplicações desde as mais simples até as mais complexas.


Apesar de boa parte da operação ser física, cerca de um terço dos funcionários trabalhava nos escritórios gerenciando as 998 vias de pedágio e 47 praças por onde transitam veículos que fazem uma média de 1 milhão de passagens por dia, além dos 15 mil dispositivos IoTs espalhados pelas rodovias, como as câmeras de monitoramento espalhadas em 80% do percurso.


O corredor logístico da Arteris atende uma parte do comércio do Mercosul e viabiliza uma infraestrutura adequada por onde trafegam transportes de carga de produção industrial, exportação, além do transporte de produtos do interior para os portos do litoral e veículos de passageiros.


“Há oito anos usamos a solução da Citrix em seu modelo mais simples, que permite o acesso remoto à infraestrutura interna. Quando foi necessário desocupar os escritórios para manter o isolamento social, precisamos pensar em uma solução para continuar os negócios de forma segura com os funcionários trabalhando de casa nos mais diferentes dispositivos. Optamos pela Citrix por conta da proximidade que já tínhamos com a empresa e por ser uma ferramenta de fácil implementação”, explica Luiz Eduardo Ritzmann, CTO da Arteris.


Infraestrutura Tecnológica


“A infraestrutura tecnológica robusta da Arteris facilitou a rapidez com que a operação foi deslocada para o trabalho remoto”, explica Geraldo Costa, executivo de Vendas da Citrix. A empresa opera oito rodovias que são interligadas por uma rede privada que conta com um backbone de fibra ótica e quatro data centers principais em modelo de hiperconvergência, com as aplicações da companhia rodando no conceito de cloud privada. Além disso, a complexidade levou a concessionária a construir um NOC (Centro de Operações de Rede) que opera ininterruptamente monitorando toda a infraestrutura.


Segundo Ritzmann, uma característica importante da empresa é ter um conjunto muito grande de IoTs espalhados pelas rodovias, aproximadamente 15 mil, entre câmeras, sensores de monitoramento de tráfego (SATs), painéis de mensagens, rodovias com Wi-Fi em toda a rota, além dos inúmeros IoTs nos locais de pedágio, que contam com cancela, redes, sensores, barreiras ópticas e todo o sistema que gerencia a parte de pedágio automático e a de pedágio manual.


Ele explica que essa infraestrutura é necessária para a operação crítica da companhia, que exige o uso frequente de aplicações robustas para gestão de arrecadação do pedágio, gestão de tráfego, de eventos nas rodovias (como obras, congestionamento, acidentes e animais na pista), acesso às câmeras de monitoramento, busca de dados nas ferramentas de business intelligence e conexão com os demais IoTs que estão na ponta.


Todas as aplicações da companhia estão dentro da solução Citrix, tanto aquelas que consomem pouco tráfego, como os e-mails, quanto as aplicações que demandam alto volume de dados, como as ferramentas para consulta de Power BI.


A experiência do home office foi bem-vinda pela Arteris e dura até hoje. A companhia deu início a reabertura do escritório em maio de 2021 de forma opcional, para quem preferir trabalhar no local.

>> Panorama