>> Mercado

TI: departamento de inovação é o caminho para avançar a digitalização nas empresas

Por: Redação, ⌚ 14/06/2022 às 11h26 - Atualizado em 14/06/2022 às 11h26

Agregar tecnologia em cada parte do negócio e integrar diversas áreas por meio da transformação digital requer um plano estratégico e um entendimento profundo dos negócios e dos objetivos da empresa em seu mercado


Por Anderson Santos


Não há dúvidas de que a transformação digital evoluiu em apenas dois anos o que esperávamos acontecer ao longo de décadas. Mesmo ainda enfrentando diversos desafios, sendo o principal deles a pandemia,  o segmento de serviços de TI terá o segundo maior crescimento de gastos em 2022, podendo chegar a US$ 1,3 trilhão, o que representa aumento de 7,9% em relação a 2021. Os dados são do mais recente relatório do Gartner, divulgado neste ano. 


Por isso, o setor tem mudado cada vez mais rapidamente e se ajustado às diversas necessidades – desde a continuidade dos negócios até o ganho de escalabilidade e competitividade de uma empresa. Uma das principais adaptações que aconteceram nos últimos anos, podendo ser vista em diversas companhias, é a “substituição” do departamento de TI pela área de inovação. Embora pareça que a existência de um elimina a do outro, na verdade, isso não ocorre. 


Hoje, é difícil falar em inovação sem pensar em tecnologia. Portanto, equipes que antes só olhavam para infraestrutura de TI e serviços gerenciados agora cuidam de projetos tecnológicos como um todo. Composto por profissionais especializados em diferentes segmentos, desde pequenos detalhes até grandes mudanças, o departamento de inovação tende a integrar TI, facilities, atendimento aos colaboradores e transformação digital. 


Essa é a maneira encontrada por boa parte das organizações para integrar tecnologia com diferentes áreas de negócio e fazer a digitalização permear por frentes mais amplas e beneficiar mais pessoas, independentemente do nível, segmento ou dos problemas enfrentados. 


Para o segmento de edge computing, isso já está se tornando uma realidade. Com a percepção de que poderiam aumentar a rentabilidade ao investir em tecnologia e infraestrutura de TI, as empresas estão incluindo esse desenvolvimento em seus planos estratégicos. Mesmo que ainda tenham condições externas adversas, ou seja, variações de mercado difíceis (como preço de matéria-prima ou disponibilidade de mão de obra) – o que pode impactar o avanço do setor –, as expectativas ainda são bastante altas para 2022.


Já para o setor de data center – que deve crescer 4,7% em 2022, segundo o Gartner – a gestão mais cuidadosa e próxima dos negócios também está saindo do papel. Principalmente quando falamos de sustentabilidade. Além da preocupação de entregar equipamentos de última geração, as equipes do segmento também têm olhado cada vez mais para a questão da descarbonização – tanto como uma preocupação em relação às mudanças climáticas quanto como um diferencial competitivo.


Desse modo, é inevitável dizer que o sucesso da TI está diretamente ligado ao avanço da inovação. Agregar tecnologia em cada parte do negócio e integrar diversas áreas por meio da transformação digital requer um plano estratégico e um entendimento profundo dos negócios e dos objetivos da empresa em seu mercado.


Mesmo com a dedicação necessária, que pode parecer trabalhosa, os benefícios são numerosos. Portanto, se uma empresa não acompanhar as constantes mudanças do mundo tecnológico, além de perder diversas vantagens – como diminuição de custos e aumento da prática da sustentabilidade – perde espaço em um cenário cada vez mais competitivo.


*Anderson Santos é líder de vendas de Secure Power da Schneider Electric Brasil

>> Panorama