>> Mercado

Pesquisa revela que nuvem segue como tendência para uso de dados nas organizações

Por: Redação, ⌚ 09/06/2022 às 11h12 - Atualizado em 09/06/2022 às 11h12

Levantamento aponta ainda que, data warehouses, data lakes e lake houses em nuvem desempenharam um papel de destaque em 2021 e foram citados como uma das principais iniciativas dos entrevistados (48%) e um dos principais casos de uso (57%)


Em sua sexta Pesquisa Anual de Uso da Nuvem (Annual Cloud Survey), a Denodo revelou que a adoção de cloud pelas empresas continua em rápida ascensão, com mais da metade (54%) participantes declarando que estão em um nível intermediário ou avançado de uso dessa ferramenta. A análise foi realizada on-line em mais de 150 organizações, em diversas regiões do mundo, para entender como elas fazem uso da nuvem.


A Denodo aponta que a transformação de negócios habilitada para a nuvem tornou-se uma prioridade à medida que as organizações enfrentam problemas globais em suas cadeias de suprimentos, encaram ameaças à sua segurança cibernética e sofrem com a instabilidade geopolítica global.


Enquanto companhias de todos os tamanhos e mercados verticais se voltam para a nuvem para garantir flexibilidade e resiliência, pequenas e médias empresas direcionam investimentos em serviços de infraestrutura em nuvem para dar suporte à migração de carga de trabalho, serviços de armazenamento de dados e desenvolvimento de aplicativos nativos.


A pesquisa aponta ainda que, data warehouses, data lakes e lake houses em nuvem desempenharam um papel de destaque em 2021 e foram citados como uma das principais iniciativas dos entrevistados (48%) e um dos principais casos de uso (57%). A nuvem híbrida continua a ser o modelo de implantação preferido desde a pesquisa de 2020, inclusive neste ano, o uso desta arquitetura foi escolhido por quase o dobro do número de entrevistados (37,5%), em comparação com a nuvem pública pura, com 20%.


Isso mostra que as empresas não estão se livrando completamente de seus sistemas locais, mesmo que tenham aumentado sua “cloud footprint”. Uma das razões para isso acontecer tem a ver inclusive com questões regulatórias.


Barreiras


Aproximadamente quatro em cada cinco entrevistados (79%) citaram a complexidade da integração e acessibilidade de dados, e a acomodação de diferentes formatos de dados como a principal desafio orientado por dados, seguido pela falta de análise de habilidades e recursos para transformar indicadores brutos em insights (62%).


Os cientistas de dados também tiveram dificuldades. Frequentemente citado por gastar mais tempo encontrando, acessando e preparando informações do que os analisando, mais de dois em cada cinco (44%) não conseguiram encontrar, acessar e analisar metade ou mais de seus indexadores após adotar tecnologias de nuvem e apenas 17% conseguiram alavancar 75% ou mais de seus dados.


O papel da TI na jornada de modernização da nuvem também mudou. Em 2020, o foco foi escolher o provedor adequado e gerenciar a migração. Mas em 2021, essas equipes estão mais focadas em receber o treinamento necessário para levar os sistemas de nuvem de sua organização para o próximo nível (de acordo com 31,3% dos entrevistados), mesmo que outras atividades como selecionar o provedor e planejar tais migrações ainda permaneçam importantes.


As empresas estão usando essa tecnologia em várias situações, como os mais populares relatórios e painéis, BI de autoatendimento e análises ad-hoc. No entanto, os entrevistados antecipam uma mudança para virtualização, preparação e qualidade de dados e combinação no futuro.


Melhoria no uso de dados


A pesquisa aponta que as organizações estão prontas para melhorar seu uso de dados e agora procuram maximizar seus sistemas de compartimentos baseados em nuvem. O próximo passo para muitas empresas é encontrar um local para armazenamento. As abordagens modernas de gerenciamento como data fabric, permitem que as organizações acomodem sistemas legados de forma transparente para que possam trabalhar em conjunto com os sistemas em nuvem.


“O público continua expressando sua necessidade de dados em tempo real, portanto, não é surpresa que a disponibilidade, no que diz respeito à integração, gerenciamento e análise na nuvem, não seja apenas algo bom de se ter, mas essencial para se tornar orientado a dados”, disse Ravi Shankar, vice-presidente sênior e diretor de marketing da Denodo. Ele acrescenta ainda que na realidade a maioria das organizações não consegue encontrar, acessar e analisar metade ou mais de suas informações depois de adotar essas novas tecnologias.


Mercado


Quando o desafio é escolher provedores de serviços em nuvem, Microsoft Azure e Amazon Web Services (AWS) dominam o mercado. Porém, em 2022, a AWS (44,6%) saltou à frente do Azure (26,2%) com uma liderança substancial, depois que o concorrente se manteve à frente da AWS por dois anos consecutivos. O Google Cloud Platform (GCP) apareceu como a terceira opção mais popular (8%), de acordo com a pesquisa. Em contrapartida, o Alibaba mostrou um salto de 1,4% em 2021 para 3,6% este ano.

>> Panorama