>> Mercado

Gastos mundiais de usuários finais de Nuvem Pública atingirão quase US$ 500 bilhões em 2022

Por: Redação, ⌚ 12/05/2022 às 15h20 - Atualizado em 12/05/2022 às 15h20

Levantamento revela que os segmentos de Infraestrutura, Desktop e Plataforma como Serviços deverão alcançar o maior crescimento dentro do mercado de Nuvem Pública este ano 


De acordo com a mais recente pesquisa do Gartner, os gastos mundiais de usuários finais em serviços de Nuvem Pública deverão crescer 20,4% em 2022, totalizando US$ 494,7 bilhões – bem acima dos US$ 410,9 bilhões em 2021. Em 2023, os analistas preveem que este segmento poderá movimentar quase US$ 600 bilhões.


“A Nuvem é a potência que impulsiona as organizações digitais de hoje. Os Chief Information Officers (CIOs) deixaram no passado a aquisição irracional de serviços em Nuvem e, atualmente, estão sendo muito mais cuidadosos nas escolhas de fornecedores de Cloud Pública para gerar resultados de negócios específicos e desejados na jornada de transformação digital de suas organizações”, diz Sid Nag, Vice-Presidente de Pesquisa do Gartner. 


A pesquisa feita pelos analistas Gartner indica que o segmento de Infraestrutura como Serviço (IaaS) deverá experimentar o maior crescimento de gastos em 2022, com alta de 30,6%. Na sequência, aparecem as ofertas de Desktop como Serviço (DaaS), com 26,6% de crescimento, e Plataforma como Serviço (PaaS), que deve chegar a 26,1% de alta.


A nova realidade do trabalho híbrido está levando as organizações a deixar de capacitar sua força de trabalho com soluções tradicionais de computação, com desktops e outras ferramentas físicas no escritório, migrando em direção ao formato de DaaS, mercado que deverá atingir US$ 2,6 bilhões em 2022. A demanda por recursos nativos da Nuvem para usuários finais via PaaS faz com que este segmento movimente US$ 109,6 bilhões em gastos neste ano. 


Previsão de gastos do usuário final de serviços de Nuvem Pública mundial (em bilhões de dólares) 


Fonte: Gartner (Abril 2022) 


“Os recursos nativos da Nuvem, como conteinerização, plataforma de banco de dados como serviço (dbPaaS) e Aprendizado de Máquina (ML – Machine Learning, em inglês) / Inteligência Artificial (IA) contêm recursos mais ricos do que computação comoditizada, como IaaS ou rede como serviço”, avalia Nag. “Como resultado, eles geralmente são mais caros, o que está alimentando o crescimento dos gastos.” 


A oferta de Software como Serviço (SaaS) continua sendo o maior segmento de mercado de serviços de Nuvem Pública, com previsão de atingir US$ 176,6 bilhões em gastos de usuários finais em 2022. O Gartner espera uma velocidade constante nesse segmento, à medida que as organizações adotam várias rotas para o mercado, com SaaS, por exemplo, e continuam a quebrar suas estruturas de programas legados e monolíticos em partes que podem ser compostas para processos de DevOps mais eficientes. 


Tecnologias emergentes de Computação em Nuvem, como Edge Computing em hiperescala e serviços de acesso seguro de borda (SASE – Secure Access Service Edge, em inglês), estão interrompendo mercados adjacentes e formando novas categorias de produtos, criando fluxos de receita adicionais para fornecedores de Nuvem Pública. 


“Impulsionado pelo amadurecimento dos principais serviços em Nuvem, o foco da diferenciação está mudando gradualmente para recursos que podem gerar disrupção real aos negócios e operações digitais nas organizações”, considera Sid.


“Os líderes de TI que veem a Nuvem como um facilitador em vez de um estado final terão mais sucesso em suas jornadas de transformação digital”, afirma o analista. “As organizações que combinarem a Nuvem com outras tecnologias emergentes adjacentes se sairão ainda melhor, finaliza Nag.  

>> Panorama