>> Mercado

Gartner indica ações que executivos de TI devem adotar na pandemia

Os analistas da empresa de pesquisa listaram oito ações para a sobrevivência financeira das organizações nesse momento de pandemia por causa do coronavírus

Por: Redação, ⌚ 05/05/2020 às 12h44 - Atualizado em 05/05/2020 às 12h44

O Gartner alerta que muitas das implicações financeiras provocadas pela disseminação de COVID-19 serão sentidas também no departamento de TI das organizações. Segundo o Gartner, os Chief Information Officers (CIOs) deveriam adotar imediatamente ações para proteger ou colocar em quarentena o fluxo de caixa de suas companhias durante a pandemia de coronavírus.

 

“A sobrevivência, e não o crescimento, será a prioridade para os executivos em 2020. A sobrevivência dependerá da manutenção de fluxos de caixa e renda, continuando sendo inovadora em tecnologia”, diz Stewart Buchanan, Vice-Presidente de Pesquisa do Gartner. “As organizações que falham em agir podem não sobreviver a essa interrupção ou terão sua recuperação subsequente atrasada.”

 

Para os analistas do Gartner, executivos de TI deveriam adotar essas oito ações durante a pandemia de coronavírus para a sobrevivência financeira de suas empresas:

 

1) Coloque os gastos não essenciais em espera – Os CIOs deveriam estabelecer imediatamente quais aspectos de seus gastos atuais podem ser adiados, eliminados ou alterados. A atenção deveria se concentrar em gastos que ainda não foram incorridos ou comprometidos e são não essenciais e de natureza variável.

 

2) Antecipe aumentos de gastos – Muitas organizações e setores baseadas em escritórios usam desktops, redes e infraestruturas fixas. Ao mudar o escritório para o trabalho remoto, os aumentos de gastos podem vir na forma de obtenção e financiamento de laptops, monitores e dispositivos móveis, licenças de software, VPN, hardware e sistemas de comunicação com base no consumo – voz e dados.

 

“Os CIOs precisam prever e planejar os custos crescentes, que em muitas organizações serão sentidos no orçamento das áreas de TI. Os CIOs precisam comunicar isso aos líderes empresariais e financeiros para garantir que os custos possam ser atendidos, bem como os gastos possam ser reduzidos sempre que possível”, afirma Buchanan. “Por exemplo, se escritórios ou locais de trabalho estiverem parcialmente ou completamente desocupados, os serviços de comunicação, acesso, gestão de infraestrutura e serviços baseados na empresa ou escritório podem ser suspensos ou adiados? Os CIOs deveriam considerar cuidadosamente sua base de custos e categorias de custos para antecipar o que aumenta e o que pode diminuir com alguma ação”.

 

3) Reduza as taxas de gastos atuais – Os CIOs precisam trabalhar com a área de negócios para priorizar os requisitos e definir os níveis de gastos que podem pagar. Os gastos e as ações devem ser classificados em três grupos:

– Podem/Precisam: Identifique os fornecedores e pagamentos que podem e, portanto, precisam ser interrompidos, adiados ou atrasados. Os CIOs deveriam ter cuidado ao comprar agora e pagar posteriormente acordos com os quais a organização não poderá arcar no futuro.

– Poderia/Deveria: Identifique fornecedores e pagamentos que poderiam ser interrompidos, adiados ou atrasados e encontre as ações específicas de redução de gastos e quais são as etapas associadas à mitigação de riscos necessárias para executar essas ações.

– Não podem/Não devem: Identifique pagamentos e fornecedores que não deveriam ser abordados porque são críticos para os negócios. Monitore ativamente o desempenho e a viabilidade financeira dessas organizações e considere planos de contingência para fornecedores em risco.

 

4) Avalie todos os investimentos existentes – Os CIOs deveriam rever imediatamente todos os projetos que já estão em andamento. Esses projetos deveriam ser separados em duas categorias – projetos não-críticos e críticos. Projetos não-críticos deveriam ser imediatamente interrompidos, enquanto projetos críticos, necessários para fluxo de caixa imediato e sobrevivência contínua da organização, deveriam ser revisados ​​para determinar quais aspectos podem ser reduzidos.

 

5) Adie qualquer novo gasto – Os CIOs deveriam adiar ou cancelar todos os gastos não frequentes em projetos, equipes, ativos ou atualizações, e liberar quaisquer recursos de terceiros, serviços ou despesas de infraestrutura relacionados a eles.

 

6) Reavalie todos os gastos existentes – Além de avaliar o portfólio de projetos, os CIOs também deveriam abordar o portfólio atual de serviços para identificar oportunidades para fornecer um nível de serviço mais baixo. “Os CIOs deveriam inspecionar os níveis atuais de consumo de suas organizações em todas as despesas operacionais variáveis ​​- por exemplo, serviços de Nuvem e comunicações de voz e dados”, acrescenta Buchanan. “Em uma base de serviço por serviço, elimine completamente ou adote ações de controle para reduzir os níveis de consumo em toda a empresa, restringindo ou gerenciando o fornecimento e renegociando os termos do contrato, conforme necessário”.

 

7) Negocie o consumo para baixo – Os executivos de TI deveriam trabalhar com os líderes de negócios para decidir as principais mudanças nas operações. Negocie com as lideranças de negócios o encerramento de serviços ou aplicações e incentive os usuários a usar menos ou trabalhar de maneira diferente – um modo que reduza os custos operacionais variáveis ​​e, potencialmente, até mesmo os custos fixos da empresa.

 

8) Explore abordagens alternativas de financiamento – Os líderes de TI deveriam trabalhar com seus diretores financeiros para investigar qual assistência financeira do governo ou do setor está disponível nos níveis federal, estadual e local.

>> Panorama