>> Mercado

Edge Computing terá um aumento de 29% de participação no mercado até 2026

Por: Redação, ⌚ 03/03/2022 às 17h25 - Atualizado em 03/03/2022 às 17h25

Levantamento realizado a partir de entrevistas com 156 profissionais da indústria global de data centers, revelou que 34% dos pesquisados está planejando ou está no meio de implementações de edge


A Vertiv anunciou os resultados da pesquisa realizada com 156 profissionais da indústria global de data centers. Investimentos expressivos em edge computing mudarão o perfil do ecossistema de data centers nos próximos quatro anos. Espera-se que até 2026 aconteça um aumento de 29% na participação de edge sobre a computação total – essa marca passará dos atuais 21% para 27% sobre o quadro geral do mercado. 


Ao redor de um terço (34%) dos pesquisados está planejando ou está no meio de implementações de edge. Um quarto já implementou sites de edge novos e projetados para esse fim e 41% está operando sites de edge legados. Embora as descobertas sobre as ações ao redor do edge sejam impactantes, os participantes da pesquisa preveem também um crescimento de 150% nos sites de core e maior atividade na nuvem em geral. De acordo com a pesquisa, o percentual de recursos de TI implementados em nuvem pública deve crescer dos atuais 19% para 25% até 2026. A demanda por recursos de computação está crescendo de forma exponencial nas redes atuais.


“Os próximos quatro anos remodelarão o cenário de data centers, mudando cada vez mais computação para o edge. Isso acontece ao mesmo tempo em que as instalações empresariais serão ancoradas no core das modernas redes híbridas”, disse Martin Olsen, vice-presidente global para estratégias de edge e transformação na Vertiv. “Essa pesquisa deixa clara a demanda urgente por computação próxima ao usuário final, onde o dado será consumido. O futuro da computação é centrado em velocidade e latência e a única forma de atender a esses dois requisitos é desenvolvendo o edge da rede.”


A pesquisa divulgada agora também revela a mudança no perfil dos sites de edge modernos. Vinte e nove por cento dos sites apresentam entre 5 e 20 racks e 13% tem mais de 20 racks. Mais racks significam mais alimentação de energia e os resultados da pesquisa mostram que 28% diz que seus sites precisam entre 21 e 200 kW e 14% diz que suas necessidades de energia ultrapassam 200 kW. Os dias de um único rack escondido em gabinetes de TI rudimentares terminaram.


Outras descobertas importantes da pesquisa incluem:


• A sustentabilidade está tendo um protagonismo nas implementações novas e planejadas de edge. Mais de três quartos dos sites (77%) estão usando ou planejando usar sistemas UPS energeticamente eficientes. Além disso, 40% está planejando usar energia renovável, 31% refrigeração eficiente em relação à água, 29% tecnologias compatíveis com rede elétrica dinâmica e 19% refrigerantes com um baixo potencial para aquecimento global (GWP).


• Embora a segurança e a disponibilidade estivessem entre as principais prioridades dos participantes implementando sites de edge, a pesquisa mostrou que alguns designs e práticas operacionais atuais poderiam reduzir a capacidade dos sites de edge computing de atingir esses objetivos à medida que a quantidade de sites aumentar.


Os resultados dessa nova pesquisa chegam logo após a divulgação, no final do ano passado, do estudo Arquétipos de Edge 2.0: Modelos de Infraestrutura de Edge Prontos para Implementação


Esse estudo identificou quatro modelos de infraestrutura de edge que possibilitam uma abordagem mais inteligente, semipadronizada, à implementação da infraestrutura de edge. Os resultados da pesquisa são consistentes com a premissa dos Arquétipos de Edge 2.0 – que o crescimento massivo no edge necessita de uma abordagem mais padronizada em relação à sua arquitetura.

>> Panorama