>> Mercado

Brasil é o primeiro país da América Latina a ter região multizona de computação em nuvem

Por: Redação, ⌚ 19/03/2021 às 14h39 - Atualizado em 19/03/2021 às 16h01

Companhia triplica localidades de data center no Brasil e expande a presença global de computação em nuvem


A IBM anunciou o início das operações de sua primeira IBM Cloud Multizone Region (MZR) na América Latina, uma importante expansão da presença global de computação em nuvem da companhia. Construída a partir do data center existente no Brasil, a Multizone Region é resultado do investimento contínuo da IBM para apoiar a adoção de nuvem híbrida e ajudar a promover o crescimento dos negócios na região, à medida que empresas de todos os setores aceleram seus planos de transformação digital em resposta à pandemia da COVID-19.


O recém-inaugurado complexo de data centers no Brasil marca o compromisso de longa data da IBM em ajudar os clientes da região a implementar, com segurança, cargas de trabalho de missão crítica com altos níveis de resiliência em ambientes de nuvem híbrida.


“A IDC espera que até 2022, cerca de 40% do PIB latino-americano seja digital, gerando US$ 460 bilhões em gastos com TI até 2023. Os investimentos em tecnologia de nuvem devem ser um fator chave para este crescimento, com 35% dos gastos com TI relacionados a computação em nuvem”, disse Alejandro Florean, vice-presidente de consultoria da IDC América Latina.


Gerenciando cargas de trabalho de missão crítica com alta segurança e resiliência


A rede de IBM Cloud é projetada para oferecer baixa latência e alta segurança, ao mesmo tempo em que ajuda os clientes a atender aos requisitos de soberania e conformidade de dados – o que é especialmente importante para organizações em setores regulados, como serviços financeiros, governo e telecomunicações, entre outros. Ao hospedar cargas de trabalho em IBM Cloud – a nuvem pública mais segura e aberta do mercado para negócios – os clientes também poderão usar recursos, entregues com IBM Hyper Protect Crypto Services e apoiados pelo mais alto nível de certificação de segurança disponível comercialmente. Isso permite que as empresas mantenham o controle de suas próprias chaves de criptografia, ou seja, os clientes são os únicos que podem controlar o acesso aos seus dados – nem mesmo a IBM pode acessá-los.


Embora as empresas tenham enfrentado desafios únicos durante a pandemia, a continuidade dos negócios nunca foi tão importante. Ao conectar três zonas de disponibilidade remota – todas independentes umas das outras – os clientes que hospedam cargas de trabalho em IBM Cloud podem ter certeza de que quaisquer eventos de falha em potencial afetam apenas uma única zona, o que significa que eles podem executar cargas de trabalho de missão crítica continuamente em ambientes de nuvem híbrida e manter os negócios em funcionamento.


“Em um momento de transformação dos negócios, especialmente nos processos operacionais e de relacionamento, a IBM investe em infraestrutura e serviços em nuvem para apoiar nossos clientes e a sociedade na aceleração de sua jornada digital”, diz Katia Vaskys, Gerente Geral da IBM Brasil.


>> Panorama