>> Mercado

85% dos líderes de TI dizem que é urgente focar em experiências digitais

Por: Redação, ⌚ 02/06/2022 às 17h30 - Atualizado em 02/06/2022 às 17h30

Apesar de a maioria dos 500 líderes de TI concordarem que é prioritário entregar experiências digitais, a pesquisa revela falhas no preparo das organizações


Em uma pesquisa com 500 tomadores de decisões da área de TI, 85% concordam que existe uma urgente mudança de foco para as experiências digitais dos consumidores. Além disso, 73% dos entrevistados dizem que este movimento dentro de suas organizações foi repentina. O estudo foi conduzido para o novo relatório da WSO2 “Reprogramming the Enterprise: Keeping Pace with the Wave of Innovation”. Os resultados destacam fatores que as empresas devem considerar para entregar experiências digitais inovadoras e diferenciadas aos seus clientes. 


A maioria dos tomadores de decisão entrevistados indicou que o uso acelerado de canais digitais está alterando as estratégias organizacionais e de tecnologia. O relatório da WSO2, analisa as estratégias destes profissionais de TI, bem como os obstáculos que enfrentam para entregar novas experiências digitais.


Impulsionando as experiências digitais dos clientes


Quão bem as empresas entendem as experiências digitais dos clientes? Depende para quem perguntamos. Entre os executivos C-Level, 52% disseram que suas companhias compreendem muito bem, comparado com as percepções de diretores (30%) e de gerentes (22%). As respostas sugerem uma possível desconexão entre os tomadores de decisão no topo da hierarquia e aqueles que estão mais envolvidos no aprimoramento das experiências dos clientes no dia a dia. 


Por outro lado, a grande maioria dos tomadores de decisão de TI concordam que quatro fatores são essenciais para impulsionar melhores experiências digitais, bem como para ganhar e manter a vantagem competitiva: segurança aprimorada (90%), adoção de soluções em nuvem (89%), integração de APIs (82%) e controle total de dados (81%).


Buscando meios para acelerar a inovação


O movimento para acelerar a inovação está pressionando ainda mais as empresas, que já lidam com a falta de desenvolvedores de software. Até por isso, 51% dos tomadores de decisão de TI afirmam que a falta de desenvolvedores teve um impacto negativo em seus negócios. Mais da metade (54%) dos entrevistados indicam que a escassez destes profissionais atrasou seus projetos e reduziu a produtividade, enquanto 48% relatam que isso desacelerou a inovação. 


Para lidar com esta demanda, as empresas estão apostando na combinação de recrutamento, desenvolvimento profissional e estratégias de tecnologia. Entre os tomadores de decisão de TI, 40% afirmam que estão aumentando a automação e 87% pensam ser provável que mais profissionais que não são desenvolvedores usem ferramentas de desenvolvimento low-code ou no-code durante os próximos três anos. Enquanto isso, 54% dos entrevistados dizem que suas organizações estão treinando outros colaboradores em desenvolvimento e 65% identificam o desenvolvimento nativo em nuvem como a habilidade que suas empresas mais necessitam. 


“Para a maioria dos entrevistados, a habilidade de entregar experiências digitais inovadoras rapidamente está se tornando um fator essencial para que possam competir”, diz Eric Newcomer, Chief Technology Officer da WSO2. “Os benefícios de soluções nativas em nuvem, como escalabilidade, resiliência e agilidade são integrais para a experiência, mas não são simples de serem obtidos. A automação da implementação também é importante, mas adiciona sua própria complexidade. Os desenvolvedores, principalmente os que têm conhecimento, estão em falta, e precisam de ferramentas melhores para competir e terem sucesso”. 

>> Panorama