>> Indústria

Neoenergia investe em tecnologia para modernizar redes de comunicação

Por: Redação, ⌚ 03/02/2021 às 14h29 - Atualizado em 05/02/2021 às 17h29

Projeto tem como objetivo dar mais qualidade e agilidade à comunicação de dados, preparando as empresas do grupo para a expansão das smart grids


Inovação é a chave da Neoenergia para continuar melhorando a qualidade dos serviços para os seus 14 milhões de clientes em cinco estados brasileiros. Para garantir a confiabilidade e a segurança em um cenário de transmissão de dados cada vez maior e se antecipar à demanda que será gerada pela expansão das smart grids, a companhia acaba de iniciar um importante projeto de modernização da rede própria de comunicação das suas quatro concessionárias – Coelba (BA), Celpe (PE), Cosern (RN) e Elektro (SP e MS). Será utilizada a tecnologia MPLS (Multi-Protocol Label Switching), uma solução de encaminhamento de dados multisserviços e mais eficiente.


“A digitalização da rede e da operação motiva a expansão da nossa rede própria de comunicação com essa tecnologia, que pode transportar todos os tipos de serviços com baixa latência e alta velocidade. O protocolo MPLS é a tecnologia mais moderna em transporte de dados e com ela vamos preparar nossas distribuidoras para a gestão do sistema energético no modelo DSO (Operadora do Sistema de Distribuição, na tradução do Inglês), gerenciando as redes elétricas, os novos serviços aos clientes, e permitindo a integração da geração distribuída e dos veículos elétricos, por exemplo”, afirma o superintendente de Smart Grids da Neoenergia, Heron Fontana.


O MPLS se diferencia das tecnologias tradicionais por realizar o roteamento por meio de rótulos, tornando o encaminhamento dos pacotes de dados mais eficiente. Com essa tecnologia, a necessidade de processamento é reduzida e a comunicação é mais veloz. É um protocolo de alta disponibilidade e ágil, que pode fazer a comutação de dados entre as rotas em até 50 milésimos de segundos, portanto mais apropriado para o tráfego de grandes volumes de dados. Devido a essas vantagens, hoje é utilizado nas redes das maiores operadoras de telefonia do País.


Benefícios importantes do uso dessa tecnologia para a Neoenergia também são versatilidade e escalabilidade. Com o MPLS, toda infraestrutura existente é otimizada e poderá ser usada para as aplicações de tecnologia operativa, isto é, para os equipamentos de redes elétricas e subestações e, além disso, suportar as aplicações corporativas de tecnologia da informação.


“Conseguiremos nos transformar em um provedor de serviços dentro da companhia, com diferentes tipos de tráfego e qualidade de serviço. Poderemos acrescentar qualquer tráfego para atender às necessidades da empresa, como o monitoramento das subestações ou aplicações de IoT (internet das coisas, na tradução do Inglês). O MPLS permite uma gestão mais eficiente da rede de comunicação, com maior disponibilidade e agilidade, que resulta em maior qualidade na operação e no oferecimento de serviços aos clientes”, explica o supervisor de Telecomunicações da Neoenergia, Victor Aragão.


A tecnologia permite ainda dar mais segurança ao transporte dos dados nas comunicações operacionais e corporativas, por permitir o uso de redes virtuais privadas (VPN), que protege com criptografia a comunicação entre a origem e o destino, garantindo assim a integridade dos dados. A capacidade de tráfego ao utilizar o MPLS pode aumentar em até 10 vezes em relação aos protocolos usados atualmente, passando de 1 para 10 gigabits por segundo.


O projeto da Neoenergia tem duração prevista de três anos e será iniciado em duas das suas distribuidoras no Nordeste. A primeira etapa, que deve ser concluída no fim de 2021, prevê a implantação da tecnologia na Celpe no trecho entre Recife e Caruaru, no Agreste pernambucano, e também na Cosern, na Região Metropolitana de Natal. Ao longo das outras fases, a Coelba e a Elektro serão beneficiadas pela modernização das redes.

>> Panorama