>> Destaque - Mercado

SAP NOW 2021: Quando a tecnologia vira a base de negócios e sustentabilidade

Por: Léia Machado, ⌚ 17/09/2021 às 16h10 - Atualizado em 17/09/2021 às 17h32

O principal evento da companhia no Brasil focou na estratégia de virar uma grande rede de negócios com a junção das plataformas atuais de compras, logística e inteligência de ativos a fim de auxiliar na transformação digital e preservação do meio ambiente


Esta semana aconteceu o SAP NOW 100% digital focado no tema central empresas inteligentes em rede em um mundo em transformação. Durante encontro com a imprensa, a presidente da companhia no Brasil, Adriana Aroulho, destacou que a visão da companhia está pautada em ofertar tecnologia para tornar as empresas mais inteligentes, integradas e sustentáveis.


“A conectividade já faz parte da vida das pessoas e das empresas. Nossa missão por meio do SAP Business Network é contribuir para um mundo mais sustentável e impactar positivamente as pessoas por meio da tecnologia”, diz. Com isso, a estratégia da companhia é virar uma grande rede de negócios com a junção das plataformas atuais de compras, logística e inteligência de ativos como Ariba Network, SAP Logistics Business Network e SAP Asset Intelligence Network.


O SAP Business Network é uma rede de negócios que nasce reunindo 5,5 milhões de organizações. “Os projetos de transformação digital evidenciam o potencial do uso das redes na educação, gestão do conhecimento, nas empresas e nas deliberações políticas. Por isso criamos a SAP Business Network”, ressaltou.


Ela destacou também que essa rede de negócios promete ofertar eficiência operacional, transparência e facilidade na gestão, além de conexão direta com a visão de sustentabilidade da companhia. “Sustentabilidade na SAP é criar impactos positivos econômicos, ambientais e sociais dentro dos limites planetários. Queremos habilitar essa agenda de sustentabilidade através das nossas soluções”, completa.


Estudos de caso com foco no meio ambiente


Suzano desenvolveu uma solução para sistematizar e automatizar a coleta de dados para a elaboração do inventário de emissões de gases do efeito estufa da empresa. Baseado na ferramenta SAP HANA, de gestão para Big Data, e batizado de Cockpit GEE, o sistema é o motor de controle de dados da Estratégia de Mudanças Climáticas da Suzano e contempla uma série de indicadores que foram previamente mapeados e associados às metas de longo prazo da empresa, entre os quais estão a remoção líquida de 40 milhões de toneladas de CO2 equivalente da atmosfera e a redução da intensidade de emissões de gases do efeito estufa até 2030. 


Os principais motivos que levaram a Suzano a adotar este projeto na plataforma SAP foi estruturar um banco de informações que garanta a confiabilidade dos dados, diminuição dos erros nas coletas das informações e agilidade na elaboração do inventário de emissões de gases do efeito estufa e de relatórios. 


Com o novo sistema, as informações de todas as operações da Suzano passam a ser unificadas, centralizadas e integradas aos sistemas de Business Intelligence e de produção integrada da empresa. Segundo Sarita Severien, coordenadora de sustentabilidade da Suzano, “o foco da solução desenvolvida sob a plataforma SAP BW HANA é o controle dos dados que são utilizados para cálculo de emissões de gases do efeito estufa, permitindo acompanhamento, melhorias e ajustes dos indicadores, com dados confiáveis e de consolidação muito mais rápida em comparação ao controle feito a partir de planilhas”, completa.


A SAP Brasil, em parceria com a Pif Paf Alimentos e o Grupo LPJ, também desenvolveu uma plataforma de georreferenciamento, registro de imagens e atualização de dados em tempo real para combate a incêndios florestais, resgate de abelhas nativas e controle de reflorestamento e replantio de árvores na região de Brumadinho, em Minas Gerais.


Implementada em julho na ONG Brigada Carcará – instituição sem fins lucrativos que atua em projetos de defesa do meio ambiente – trouxe uma nova realidade para a preservação da fauna e flora da região. Segundo Lucas Romário Lara, brigadista e um dos fundadores da Brigada Carcará, a plataforma modernizou a estrutura de atendimento e possibilitou a geração de dados essenciais para monitoramento e análise.


“Hoje, mesmo de maneira off-line, é possível traçar pelo celular as coordenadas das ocorrências e registrar horários de controle e de extinção de incêndios. Também é possível mensurar áreas queimadas e identificar espécies de animais feridos, registrar imagens e solicitar apoio imediato de outras equipes, caso necessário. A utilidade do aplicativo também se estende a ações voltadas ao resgate de abelhas nativas e replantio de árvores em áreas queimadas. Tudo isso é feito durante as próprias ocorrências”, complementa o brigadista da ONG.     


O tempo médio para registro das ocorrências era de dois a três dias, e hoje, com o aplicativo, a ONG realiza esse procedimento em um a dois minutos.

>> Destaques