>> Destaque - Varejo

Riachuelo implementa análise de dados como parte estratégica de negócios

Por: Redação, ⌚ 19/01/2022 às 17h13 - Atualizado em 19/01/2022 às 17h16

Varejista visa conectar as áreas de negócios por meio de dados para acelerar inovação e aprimorar experiência do cliente


A Riachuelo desenvolveu um novo ambiente de gerenciamento e análise de dados com o uso da plataforma de nuvem, Microsoft Azure, e com algoritmos de Inteligência Artificial (IA). 


Intitulado de “Self Service”, o ambiente permite que os profissionais das áreas analisem e retirem insights de acordo com suas necessidades, acelerando a inovação e aprimorando o trabalho das áreas financeira, suprimentos, marketing, dentre outras, bem como o da Midway – braço financeiro do Grupo Guararapes. 


Para que isto fosse possível, a companhia iniciou ainda em 2020 o processo de migração do SAS, solução analítica on-premise, para o ambiente Self Service em nuvem. Fizemos um trabalho de migração junto às áreas de negócio de mais de 250 processos que antes ficavam armazenadas em ambiente on-premise, em cerca de dois meses. Desenhamos o ambiente em nuvem para que as nossas áreas pudessem contar com mais capacidade computacional e suporte na tomada de decisão por meio de dados e Inteligência Artificial”, conta Rodrigo Franco, head de Dados da Riachuelo.  


Atualmente, 18 áreas da varejista finalizaram o processo de migração para a nuvem e utilizam modelos estatísticos baseados em aprendizado de máquina (machine learning) para retirar recomendações que auxiliem as suas atividades de negócio. Dentre elas está a área de relacionamento com o cliente, que consegue fazer estudos de campanha de forma otimizada e aprimorar a segmentação do seu público-alvo para os clientes das lojas e do e-commerce. “Com a plataforma, conseguimos ter uma visão completa do público, qual tipo de campanha endereçar para cada um de acordo com os seus perfis e, assim, aumentar o nosso retorno em vendas e fidelização”, diz Franco. 


Além de proporcionar benefícios aos clientes das lojas, o ambiente Self Service, que está armazenado em um data lake na Azure, também apoia a operação e a personalização do atendimento da Midway. Dessa forma, os times realizam a modelagem de crédito a partir de dados do comportamento dos clientes e fontes de dados do Banco Central e Serasa, e assim podem prevenir risco de crédito e definir o momento mais assertivo de aprovar um cartão ou realizar aumento de limite de crédito. Com isso, o RCHLO Score, projeto de pontuação de créditos da companhia, obteve ganhos de acuracidade nos modelos preditivos. 


Outra funcionalidade do ambiente em nuvem da Riachuelo é a possibilidade de analisar o perfil de venda de cada loja, das mais de 330 no País, e adicionar inteligência computacional na alocação e no reabastecimento de produtos, o que automatiza o trabalho das áreas de reposição e estoque.  


De acordo com a empresa, a implementação de uma estrutura de dados em nuvem provê mais segurança desde a sua entrada e permite a criação de um catálogo de dados que, por meio do Power BI e do Azure Purview, facilita o rastreamento e a entrega dos dados, tornando a tomada de decisão dos colaboradores mais eficiente e, praticamente, em tempo real, além de garantir a governança dos dados e a conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).  


Os primeiros resultados da migração já vêm sendo identificados desde o final do ano passado, quando, durante a Black Friday, a Riachuelo teve aumento na capacidade de performance com redução no tempo de análise de processos em SAS em mais de 50%. Além disso, o uso da nuvem permite que a companhia tenha escalabilidade, reduza e compartilhe os custos de infraestrutura entre as áreas – o que antes ficava apenas a cargo da área de tecnologia. 


A expectativa é que todas as áreas utilizem o data lake como fonte única de informação para acelerar inovação até o final de 2021, a fim de eliminar a utilização de todo ambiente de legado da empresa. “A nuvem e Inteligência Artificial têm um potencial estratégico para o varejo, principalmente neste período de resiliência, e deve continuar tendo impacto positivo no setor nos próximos anos”, finaliza Christiano Faig, vice-presidente de vendas e soluções da Microsoft Brasil.  

>> Destaques