>> Destaque - Mercado

Em 2021, a média de gastos e investimentos em TI foi de 8,7% no Brasil

Por: Bruno Silva, ⌚ 27/05/2022 às 16h55 - Atualizado em 27/05/2022 às 17h27

Pesquisa sobre o uso da TI nas empresas revela que no setor bancário, nos últimos dois anos, os gastos e investimentos com TI cresceram 11% ao ano, atingindo 32 bilhões de reais em 2022, representando, 15% do valor total das empresas no Brasil 


A 33ª da pesquisa do uso de TI nas empresas, realizada pelo Centro de Tecnologia de Informação Aplicada da FGV EAESP, revelou que a média de gastos e investimentos em  tecnologia no Brasil atingiu um nível de 8,7%, em 2021. De acordo com Fernando S. Meirelles, professor titular de TI e Fundador do FGVcia, este percentual vem crescendo, principalmente devido a maturidade e importância da tecnologia para os negócios existentes e para viabilizar novos modelos de business.


O setor bancário segue na liderança como a vertical que mais investe em tecnologia, representando 17,9%, seguido por serviços 12,4%, Indústria 5,0% e Comércio 4,1%. “A pandemia acelerou consideravelmente a adoção e investimentos em tecnologia. Nos bancos, por exemplo, em 2021 e 2022 os gastos e investimentos com TI cresceram 11% ao ano, atingindo 32 bilhões de reais em 2022, o que representa 15% do valor total das empresas no Brasil”, completa. 


O levantamento mostra também que a TOTVS e SAP registraram 33% de adoção quando se trata de sistema Integrado de Gestão (ERP), entre 2021 e 2022, seguido de outros players como Infor, Microsoft, MV, Senior, com 23% e Oracle na marca dos 11%. “As novas tecnologias provocam a necessidade de integrar cada vez mais o físico com o digital e demandam a implementação de novos processos integrados com o ecossistema da empresa”, diz o professor. Ele acrescenta que o “novo” ERP continua a ser o coração da transformação digital dentro das organizações.


Quando se trata de Inteligência Analítica, o relatório revela que a SAP segue líder com 24% de preferência dos profissionais de TI, seguido de um empate, Microsoft, Totvs, Qlik ficaram com 15% de preferência e Oracle (16%), IBM (9%), e outros (6%).


A amostra da pesquisa teve 2.650 respostas válidas, dentro de mais de 10.000 empresas pesquisadas pelo FGVcia, por alunos de graduação e de pós-graduação da instituição, formando uma amostra equilibrada e representativa das médias e grandes empresas nacionais de capital privado, 66% das 500 maiores estão na amostra.


Outros destaques da pesquisa incluem:


• 2 dispositivos digitais por habilitante. Segundo relatório da FGV, o Brasil possui 447 milhões de dispositivos (computador, notebook, tablet e smartphone) em uso, tanto para uso corporativo quanto para uso doméstico;


• Segundo o FGVcia, o Brasil terá em breve 1 computador por habitante: 216 milhões de computadores (desktop, notebook e tablet) em uso. Atualmente, são 205 milhões ou 96% per capita. Venda anual de computadores em 2021 foi 14 milhões, 27% maior que 2021;


• São mais de 1 smartphone por habitante: 242 milhões de celulares inteligentes (smartphones) em uso no Brasil. São 352 milhões de dispositivos portáteis (celular, notebook e tablet).

>> Destaques