>> Destaque - Mercado

AWS re:Invent – Por um mundo nativo em cloud

Por: Léia Machado, ⌚ 02/12/2021 às 14h37 - Atualizado em 02/12/2021 às 14h37

Durante conferência anual, CEO da companhia, Adam Selipsky ressalta que hoje, mais do que nunca, a cloud é real. Por mais que a maioria das empresas esteja em estágios iniciais da jornada para a nuvem, o executivo reforça a importância de contar com recursos flexíveis, robustos, com AI e Machine Learning


Adam Selipsky, CEO da Amazon Web Services (AWS), subiu ao palco da 10ª conferência anual da companhia nesta semana para destacar as estratégias pautadas em cloud. Durante o re: Invent 2021, o executivo apresentou reflexões e anúncios ambiciosos com destaque para a plataforma AWS Cloud. A estimativa é que a receita da unidade de computação em nuvem chegará a US$ 60 bilhões este ano, mas os desafios são grandes frente aos concorrentes provedores de soluções em cloud que também vêm fortes no mercado como Microsoft e Google.


Por mais que a pandemia tenha acelerado o uso da computação em nuvem em todo mundo, a verdade é que as organizações seguem na jornada de migração, ainda existem enormes oportunidades disponíveis para melhorar e atualizar a infraestrutura de TI. Um estudo da IDC apontou que a cloud avançou como elemento-chave nas estratégias de tecnologia, se tornando um caminho rápido para ampliar a resiliência operacional de TI.


Mas o modelo híbrido tende a ser a opção inicial das empresas brasileiras, 90% das organizações de grande porte pesquisadas pela IDC dizem contar com Data Centers tradicionais, sejam eles próprios ou terceirizados. Destas, 49% afirmam utilizar também algum modelo de cloud como parte da sua infraestrutura de TI.


Na visão de Selipsky, hoje mais do que nunca a cloud é real e a jornada para a nuvem precisa respirar novos ares, contando com recursos flexíveis, inteligentes e robustos, inclusive para missão crítica. “A AWS continua a ser o lugar perfeito para isso se materializar”, enfatiza o executivo e acrescenta que a companhia segue realizando investimentos em seu conjunto de produtos, soluções e ferramentas nativos da nuvem.


Superclouds


A ascensão da computação em nuvem deu início a uma era de inovação tecnológica que está se acelerando, como a mudança de foco de aplicativos em nuvem para plataformas mais completas. A AWS está se aprofundando para fornecer aos clientes corporativos ofertas com recursos de inteligência artificial, machine learning e serviços de análise de dados.


Para ele, esta é uma maneira pela qual a companhia pretende agregar valor incremental para os clientes, buscando abstrair seus produtos, serviços e interfaces de programação de aplicativos básicos para construir soluções que usem maior poder computacional.


“O objetivo é entregar tecnologias completas para todos os tipos de clientes, permitindo construção de aplicativos e plataformas mais robustas, contando também com parcerias junto aos fornecedores de software e soluções de terceiros. Assim, criaremos ampla comunidade de clientes e parceiros em torno do universo cloud”, completa.


Portfólio


Durante a conferência, a AWS lançou um novo chip de servidor, o Graviton3 Arm Server Chip, que opera 25% mais rápido se comparado ao Graviton2, consome 60% menos energia e oferece desempenho 3x mais rápido para cargas de trabalho de aprendizado de máquina (ML) e 2x mais rápido para cargas de trabalho criptográficas.


O novo serviço de modernização de mainframe AWS Mainframe Modernization permite às organizações empresariais migrar, modernizar e executar cargas de trabalho de mainframe, prometendo redução de tempo gasto em 67%. Além de um novo serviço AWS Private 5G Service, que permitirá aos usuários configurar, gerenciar e dimensionar suas próprias redes móveis privadas, juntamente com a configuração automática. A companhia fornece software, hardware e SIM’s necessários para o serviço 5G privado, tornando-o uma solução mais abrangente.


O analytics também é foco e a companhia anunciou três novas opções serverless para seu pacote de serviços de análise de dados. Uma nova opção serverless para Amazon Redshift permite alta capacidade de executar workloads de analytics de alto desempenho em petabytes de dados sem ter que gerenciar clusters de data warehouse. Uma nova opção serverless do Amazon Managed Streaming para Apache Kafka (Amazon MSK) escala os recursos para simplificar o processamento e o streaming dos dados em tempo real. E o Amazon EMR oferece uma opção serverless para executar aplicativos de analytics que usam frameworks de big data de código aberto como Apache Spark, Hive e Presto sem ter que fornecer, gerenciar e escalonar a infraestrutura subjacente.


Por fim, a companhia anunciou três novas instâncias do Amazon EC2 com base em chips projetados pela AWS. As instâncias Amazon EC2 C7g, com novos processadores AWS Graviton3. As instâncias Amazon EC2 Trn1, com chips AWS Trainium, prometem melhor custo-benefício em desempenho e mais rapidez para treinar a maioria dos modelos de machine learning no Amazon EC2. E as instâncias Amazon EC2 Im4gn/Is4gen/I4i apresentam novos SSDs AWS Nitro para melhor desempenho de armazenamento para workloads com I/O-intensive.

>> Destaques