>> Varejo

Omnichannel e AI estão transformando as lojas como as conhecemos hoje

Na visão de consultor da GS&Consult, não existe outra forma de pensar o Varejo que não seja de forma única e integrada

Por: Redação, ⌚ 09/02/2018 às 15h16 - Atualizado em 09/02/2018 às 15h16

Para lidar com a volatilidade do mercado e as exigências do ominiconsumidor, Alexandre van Beeck, sócio-diretor da GS&Consult é enfático: “Quando a gente pensa no negócio de varejo não podemos pensar somente na nossa loja ou só no nosso e-commerce. Não existe outra forma de pensar o Varejo que não seja de forma única e integrada”, disse durante sua apresentação no Retail Trends, evento realizado pela GS&MD nesta semana, em São Paulo.

 

O consultor especialista em varejo comentou sobre cases que foram apresentados durante a NRF e que mostram caminhos desta transformação que está acontecendo no âmbito global. Segundo ele, o varejo está vivendo um verdadeiro “Big Bang”, com marcas tradicionais precisando se reinventar com a entrada de novos players digitais ao competitivo e volátil cenário mundial. E citou alguns exemplos de grandes redes de varejo.

 

Enquanto o Walmart, que encabeça a lista dos maiores players do varejo mundial e possui uma das maiores redes de lojas nos Estados Unidos, está investindo em modelos menores, mais ágeis e que incorporam iniciativas do digital. A Amazon, gigante do e-commerce, também está fazendo o caminho inverso, experimentando o varejo físico, primeiro com a Amazon Books, uma livraria, e agora com a Amazon Go, o supermercado que promete acabar com as filas dos caixas.

 

Mas a Amazon não está só. O chinês Alibaba também mostrou, durante a NRF, que não é apenas um e-commerce. Mas sim um grande ecossistema, com diferentes negócios, totalmente integrados. Com apenas um cadastro, a companhia identifica o consumidor, seja online ou em uma loja de sua rede de supermercados, o Hema Market, uma de suas apostas para o varejo.

 

Mas como trazer essa experiência para o Brasil? A resposta é uma só, para van Beeck: “Manter sempre o foco no omniconsumidor” e repensar o negócio.

 

Outro tema destacado no evento foi a Tecnoera e a forma como os varejistas estão utilizando as novas tecnologias. Na apresentação de Pedro Padis, sócio-diretor da GS&Comm, o especialista destacou a plataforma-laboratório Omnistory, que está em funcionamento no Shopping Villa Lobos, em São Paulo, e suas soluções de integração de canais, on e off, uso de novos canais, como lockers, App, vending machine e cadastro Omni.

 

“O consumidor precisa ser o centro de todas as nossas estratégias. Precisamos canalizar isso”, destacou Padis. O executivo falou também sobre a importância de conhecer o comportamento do consumidor dentro da loja e como o uso de ferramenta de Reconhecimento Facial, Facemedia contribuem com relatórios aprofundados sobre a experiência dos consumidores no ponto de venda.

 

Em seguida. Álvaro Manzione, fundador e head de Produto da Pluginbot, falou sobre o uso de chatbots no varejo, uma tecnologia cada vez mais necessária para o que ele chama de O Futuro do Ponto de Venda – o PDV 5.0: ter uma única base de experiência.

 

Álvaro contou sobre a nova colaboradora da Omnistory, a Omnia, uma robô concierge, mais um exemplo de como o varejo brasileiro já está incorporando tecnologias de ponta no varejo. A robô pode ser vista de perto na Omnistory instalada no shopping Villa Lobos. E marca o inicio de uma nova etapa para o varejo: a interação cada vez mais comum entre clientes e robôs.

>> Panorama