>> Varejo

Mais da metade dos m-consumidores brasileiros compram em sites estrangeiros

Pesquisa da Ipsos encomendada pelo PayPal descobriu também que 75% das lojas online no País já têm sites adaptados para a telinha

Por: Redação, ⌚ 02/12/2019 às 15h54 - Atualizado em 02/12/2019 às 15h54

Os consumidores estão comprando no celular a uma taxa maior do que nunca – em todo o mundo. Até por causa disso, expressões como “mobile first” e “mobile only” estão se tornando cada vez mais comuns entre os internautas, que passam horas a fio de cabeça baixa olhando para as telinhas de seus celulares. Este foi o pano de fundo para que o PayPal encomendasse uma pesquisa global sobre o assunto a Ipsos.

 

O questionário focou nos hábitos de consumo online, divididos em três áreas principais: o comportamento do consumidor na hora de pagar pelo smartphone; os principais incentivos e barreiras para comprar via mobile; e o quanto essa forma de compra online cativa esses consumidores.

 

A Ipsos entrevistou 22 mil consumidores e 4.600 lojistas em onze mercados, sendo 2 mil consumidores e 500 lojistas no Brasil. E descobriu, entre outras coisas, que quase 80% dos e-consumers compraram via smartphone nos seis meses anteriores à pesquisa. Apesar disso, curiosamente, 37% das empresas globais ainda não estão preparadas para dispositivos móveis (ou seja, não têm sites responsivos, que se adaptam às telas dos smartphones). Esse índice, no Brasil, é de 25%, o que faz bastante sentido, já que, segundo o IBGE, por uma questão de preço, os smartphones são o principal meio de acesso dos brasileiros à internet e às redes sociais.

 

A Índia lidera nesse quesito: 92% dos consumidores indianos disseram já ter usado o smartphone para fazer pagamentos online; e 81% dos comerciantes indianos garantem estar otimizados para aceitar compras via mobile. Com 83%, a Itália é o principal mercado europeu para consumidores que fazem compras online via smartphone; ao mesmo tempo, apenas 65% das empresas italianas relataram ter um site ou aplicativo otimizado para celular. Já nos EUA, 72% dos consumidores usaram um smartphone para pagar online desde o começo do ano, enquanto 57% das empresas relataram oferecer uma experiência otimizada para celular – este é o segundo índice mais baixo entre os países pesquisados, perdendo apenas para o Japão, com 49%.

 

A seguir, os principais highlights da pesquisa Ipsos, tanto do ponto de vista dos comerciantes quanto dos consumidores brasileiros:

 

• 76% dos consumidores pesquisados disseram usar dispositivos móveis para fazer compras ou pagamentos online.

• 74% dos lojistas brasileiros entrevistados garantiram que têm versão otimizada (responsiva) de suas lojas online para smartphones.

• Em relação ao tíquete médio do comprador online brasileiro, ele gasta em torno de R$ 503 por mês em compras via celular.

• 60% dos consumidores brasileiros dizem pagar contas ou fazer compras online via celular pelo menos uma vez por semana.

• Já os comerciantes entrevistados garantiram que 44% de suas vendas online se dão por meio de dispositivos móveis.

• Outra informação interessante é que 43% dos consumidores entrevistados no Brasil disseram ter feito compras online por meio de redes sociais nos seis meses que antecederam a pesquisa realizada pela Ipsos.

• Do outro lado, 52% dos lojistas nacionais entrevistados garantiram já estar vendendo produtos e serviços via redes sociais.

• 94% dos m-consumers brasileiros pagam contas ou fazem compras via aplicativos instalados em seus celulares. Destes, 47% garantem usar os aplicativos pelo menos uma vez por semana.

• A Ipsos também quis saber quantos internautas brasileiros costumavam fazer compras online internacionais via dispositivos móveis. E mais da metade (51%) respondeu que esta é uma modalidade comum de compras.

• Do lado dos lojistas pesquisados, 74% deles se dizem integrados ao comércio internacional e já venderam online, via smartphone, para consumidores de outros países.

• Ainda nesse quesito, uma informação surpreendeu os pesquisadores da Ipsos: segundo os lojistas online brasileiros, 48% do volume de suas vendas vêm de clientes internacionais – que compram online via dispositivos móveis.

 

>> Panorama