>> Varejo

Kopenhagen e Brasil Cacau adotam plataforma de IA durante o Natal

Plataforma de Inteligência Artificial da TEVEC ajusta mix e quantidade de reabastecimento de chocotones e chocolates, permitindo volume adequado de estoque e menos ruptura nas redes varejistas

Por: Redação, ⌚ 11/12/2019 às 14h55 - Atualizado em 11/12/2019 às 14h55

O Grupo CRM, responsável pelas operações da Kopenhagen e Chocolates Brasil Cacau, usa a plataforma de Inteligência Artificial da TEVEC para tomar as decisões corretas de planejamento, produção e abastecimento de suas lojas. Há cinco anos, as duas empresas mantêm parceria para automatização do processo de previsão de demanda, uma ação que se intensifica com a aproximação de datas de grande movimento nas vendas, como o Natal.

 

O sistema dobra o número de acertos na comparação com a metodologia de previsão estatística utilizada anteriormente. Com isso, o Grupo CRM reduziu o índice de desperdício nas suas lojas em mais de 60% e não perdeu mais venda por ruptura – ou seja, a falta de chocolate no ponto de venda. Também eliminou os estoques acima da demanda, que impactam no capital de giro e muitas vezes resultam em perdas por vencimento do prazo de validade.

 

De acordo com um levantamento da Associação Paulista de Supermercados (APAS), essa é a segunda melhor data para a indústria de doces e chocolates, em virtude de esses produtos representarem uma forma mais barata de presentear e que agrada grande parcela dos consumidores. Ainda de acordo com a pesquisa da APAS, as vendas de panetones e chocotones devem aumentar 5% em 2019.

 

O atendimento de tantos pontos de venda é complexo, principalmente por se tratar de chocolate, produto altamente perecível e que apresenta grande sazonalidade de vendas.

 

A plataforma de Inteligência Artificial considera também a influência de elementos externos, que não estão sob controle da empresa, como a economia, mudanças no câmbio e até variações climáticas – fundamentais para um produto que pode derreter. As variáveis ainda incluem feriados, localização das lojas, estações do ano, custo de matéria-prima, desempenho do operador logístico, entre outras. Todos estes fatores entram nos cálculos matemáticos da Inteligência Artificial, que processa bilhões de combinações e decide a quantidade ideal de abastecimento – sem interação humana.

 

Além da redução de custos, há ainda a eliminação de fretes extras e de gastos com turnos adicionais de produção, antes necessários para repor mercadoria quando a previsão era falha.

>> Panorama