>> Serviços

Pagamentos digitais ajudam na redução da criminalidade?

Segundo estudo encomendado pela Visa, a soma dos benefícios desses novos meios de pagamentos pode chegar a cerca de US$ 470 bilhões nas 100 cidades analisadas em todo o mundo, incluindo São Paulo e Brasília

Por: Redação, ⌚ 30/07/2018 às 17h09 - Atualizado em 30/07/2018 às 17h24

Estudo independente encomendado pela Visa à Roubini ThoughtLab, “Cidades sem dinheiro em espécie: Compreendendo os benefícios dos pagamentos digitais” mostra que o aumento do uso dos meios eletrônicos de pagamento em situações cotidianas pode trazer benefícios diretos para os consumidores, governos e empresas.

 

Segundo o levantamento, os pagamentos digitais reduziriam a circulação de grandes quantidades de dinheiro em papel, impactando diretamente na segurança e queda da criminalidade, evitando furtos e roubos à estabelecimentos comerciais ou veículos de transporte de valores. Além disso, existem outros benefícios como a elevação do crescimento econômico, aumento do nível de emprego, alta de salários e aumento da produtividade dos trabalhadores.

 

A soma desses benefícios poderia chegar a cerca de US$ 470 bilhões em benefícios líquidos diretos nas 100 cidades analisadas em todo o mundo, incluindo São Paulo e Brasília. Os benefícios líquidos diretos estimados para os consumidores poderiam chegar a quase US$28 bilhões por ano.

 

Esse impacto é resultado de uma série de fatores, entre os quais as 3,2 bilhões de horas que eles deixariam de gastar fazendo transações em bancos, no varejo e nas redes de transporte público, e a redução de crimes relacionados ao porte de dinheiro em espécie.

 

Além disso, a Visa lançou o programa Cidades do Futuro e pilota ativações de incentivo ao uso dos meios digitais de pagamentos em três cidades brasileiras reconhecidas como centros de desenvolvimento de sua região: Belém, Maringá e Campina Grande.

 

>> Panorama