>> Saúde

Hospital e Startup utilizam assistente virtual para triagem de pacientes

Serviço oferecido a partir de inteligência artificial ajudará a prever demanda por atendimento médico

Por: Redação, ⌚ 13/05/2020 às 14h26 - Atualizado em 13/05/2020 às 14h33

O Hospital Alemão Oswaldo Cruz e a startup de inteligência artificial LAURA uniram forças para combater o novo coronavírus. A partir de uma plataforma de inteligência artificial, os pacientes da Instituição poderão tirar dúvidas sobre a COVID-19 e passar por uma triagem virtual, baseada nos parâmetros estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS), sem a necessidade de se deslocar até o Hospital. O serviço tem o objetivo de evitar a propagação do vírus e oferecer às equipes médicas e assistenciais uma previsão de quantos pacientes estão a caminho e quais deles têm sinais de gravidade nos casos relatados. 

 

Um dos maiores centros hospitalares da América Latina, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz é uma das primeira instituições de saúde do país a utilizar a inteligência artificial da LAURA para auxiliar pacientes em relação ao novo coronavírus. Por ser baseada em tecnologia cognitiva e Natural Language Processing (NLP), a plataforma aprende com as dúvidas e inputs dos usuários. 

 

 “A chegada da inteligência artificial da Laura será de extrema importância para auxiliar no enfrentamento da pandemia. Com a tecnologia, teremos a oportunidade de maior previsibilidade no atendimento e assim preparar melhor toda a nossa equipe médica e assistencial para oferecer o melhor atendimento ao paciente que chega até nós”, afirma Atualpa Carvalho de Aguiar, Gerente de Tecnologia e Inovação do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

 

O projeto faz parte das ações desenvolvidas pela LAURA para contribuir com a otimização dos recursos de saúde e auxiliar os hospitais neste período. Em março, foi criada a LAURA P.A. Digital, serviço de triagem e gestão do cuidado online que será oferecido gratuitamente instituições de saúde. A iniciativa tem o apoio do Instituto Laura Fressatto.

 

Como funciona

 

Ao acessar a triagem virtual, o paciente responde uma série de perguntas. Depois que a inteligência artificial fizer a análise das informações, se o caso não for considerado crítico, o paciente recebe orientações de prevenção e acompanhamento. Se os sintomas forem de gravidade, o paciente confirma que vai para o hospital e, imediatamente, aparece na plataforma de previsão de demanda.

 

Pessoas com sintomas leves receberão acompanhamento diário da assistente virtual. “A ideia é que ela envie mensagens todos os dias para saber se houve mudanças nos sintomas relatados inicialmente. Dessa forma, a equipe assistencial poderá acompanhar a progressão do paciente com o passar do tempo. Esse é um grande diferencial da plataforma”, explica Cristian Rocha. 

 

“Vale dizer que a plataforma não substitui avaliação médica, mas serve como apoio para a triagem de pacientes COVID-19 de forma mais rápida e assertiva, evitando a saturação do pronto-atendimento. Outra vantagem é a previsão da demanda de testes que serão necessários para atender os casos suspeitos”, afirma o CEO da LAURA, Cristian Rocha.

>> Panorama