27 de Abril | Inscreva-se!

Decision Report - Página inicial

   
| Assinaturas  |  Publicidade  |  Newsletter  |
|  Contato |   Busca: 
 |
Panorama Finanças Governo Saúde Serviços Indústria Varejo
Mercado
Pesquisa
Fusões
Cases
Carreira
Segurança
Comentário
Risk Report
Executive Report


Security Leaders no WTC. Participe!

PROOF




Você está em: Home - Serviços - Telecomunicações - vejatambem .

Pós-pagos representam 20% dos assinantes da Claro

Carolina Pereira     22/07/2008

 A Claro anunciou faturamento de R$ 2,8 bilhões no segundo trimestre, o que significa aumento de 19,8% em relação ao mesmo período do ano passado. O EBITDA (lucro antes de impostos, juros, depreciações e amortização) ficou em 650 milhões de reais, 8,2% maior do que em 2007.

 

A aposta da Claro para liderar o mercado em vendas e rentabilidade, que é o objetivo da empresa segundo o presidente João Cox, são os pós-pagos, que fecharam o trimestre com 6,5 milhões de assinantes, ou seja, 20% da base total. “Nossa estratégia é adicionar clientes pós-pagos e não só acumular chips”, diz Cox.

 

A operadora totalizou base de clientes de 33 milhões de assinantes ao final de junho, que representa crescimento de 26,1%. A participação de mercado aumentou 0,3% e chegou a 24,9%, contra 30,36% da Vivo e 25,4% da TIM.

 

Aposta na transmissão de dados

 

Outra área que a empresa considera prioritária em seus investimentos é o mercado de banda larga. Hoje, os serviços 3G já são responsáveis por 9% da receita da companhia e Cox acredita que há uma carência na questão de transmissão de dados no mercado brasileiro. “A demanda é brutal, vamos continuar investindo na área”, analisa.

 

A operadora disponibiliza os serviços 3G em 71 cidades das cinco regiões brasileiras, que somam cerca de 45 milhões potenciais usuários. Em maio deste ano, anunciou que vai vender o iPhone no Brasil ainda em 2008, mas não tem previsão da chegada efetiva do aparelho nem de qual será o preço. Mesmo assim, na lista de interessados no aparelho já existem 100 mil pessoas cadastradas.

 

Para Cox, o celular é a plataforma de convergência para qual migrarão muitas tecnologias, além de ser uma forma de promover a concorrência com os grandes provedores de banda larga. “A única forma de promover a competição no mercado de banda larga é por meio da tecnologia sem fio, da qual 3G faz parte”, analisa.

Enviar por e-mail   |   Imprimir texto

Mercado - 24/04/2017
Porque a empresa inteligente será o futuro?

Mercado - 20/04/2017
App de mobilidade urbana inicia operação em SP

Mercado - 20/04/2017
Primeiras antenas de IoT são instaladas no Brasil

Mercado - 20/04/2017
Internet das Coisas está cada vez mais perto

Mercado - 19/04/2017
Faturamento da IBM cai pelo 20º trimestre consecutivo

Mercado - 19/04/2017
AWS amplia recursos de analytics

Mercado - 19/04/2017
IoT e a transformação das empresas

Mercado - 19/04/2017
Tecnologia melhora rentabilidade do setor de serviços

Mercado - 19/04/2017
8 motivos para usar um ERP na nuvem

Mercado - 18/04/2017
Qual o papel do data center na transformação digital



Os CEOs e a inovação
*Por Orlando Cintra

Orlando Cintra, da SAP Brasil, fala como a transformação digital é um tema de interesse, investimento e grande preocupação dos executivos. Quem, de fato, faz a ideia disruptiva acontecer dentro da organização?


Copyright © 2015 Decision Report       Todos os direitos reservados.       É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site.