>> Mercado

Migração física de data center exige planejamento detalhado

Análise para transferência pode ter milhares de itens a serem levados em conta no processo, além disso é preciso verificar a qualidade atual do DC, pois, muitas vezes, as empresas acabam deixando a estrutura desorganizada e isso prejudica não apenas a qualidade do acesso às informações, mas também coloca toda a empresa em risco

Por: Redação, ⌚ 12/06/2018 às 16h20 - Atualizado em 12/06/2018 às 16h20

O Data Center pode ser considerado o verdadeiro coração de muitas empresas, concentrando o acesso às informações estruturais, com a finalidade de processar adequadamente e sem interrupções um alto volume de dados, ele garante que não ocorram desvios ou quedas na operacionalidade dos serviços dessas corporações. Se para mantê-lo em funcionamento já é necessária atenção e equipe qualificada, fazer a migração física, ou Data Center Moving, exige um planejamento detalhado de cada ação.

 

Não basta desplugar fios e levar a estrutura para um outro endereço. Aliás, isso é impensável, já que nada pode ser desligado sem planejamento e as informações precisam ser mantidas seguras e, muitas vezes, acessadas pelos usuários durante o moving. Um detalhamento técnico para este processo chega a ter mais de 1.000 itens a serem verificados, dependendo do porte do Data Center.

 

“Um Moving de Data Center é um processo bem detalhado. Parece simples, levando em consideração que a mudança física acontece em um final de semana, porém, o planejamento técnico da operação envolve um time de profissionais, tanto do cliente, quanto dos nossos especialistas, e pode levar dois meses ou até dois anos para se montar toda a estrutura de mudança, tudo varia de acordo com a complexidade da estrutura”, explica Ricardo Perdigão, Diretor Comercial da Tecnocomp, empresa referência em Data Center Moving.

 

Para a realização de um Moving é necessário, antes de qualquer ação, iniciar um processo de gestão, que inclui planejamento, análise de risco, assessment (diagnóstico) do ambiente e elaboração de documentação técnica. Para realizar o processo é preciso alinhar a equipe do cliente com diretor de TI, gerente de projeto e especialistas de cada área, como redes, backup, armazenamento, sistema operacional e segurança. “É importante a integração dos profissionais nesse período. Nossa equipe especializada precisa entender todas as necessidades e avaliar cada decisão a ser tomada. O planejamento é uma parte crucial no processo de Moving”, destaca Perdigão.

 

Já para a execução do Moving, além dos profissionais das empresas, é preciso ainda contar com equipe de infraestrutura, cabeamentos em geral, transporte especializado e até mesmo escolta armada, seguro e profissionais especialistas para a transferência física. “Dependendo do porte do Data Center que será transportado, é necessário alinhar até mesmo com equipes dos departamentos de trânsito da cidade, afim de organizar o percurso que será realizado, para que tudo saia dentro do planejamento”.

 

Quando a estrutura de um Moving fica inviável à empresa, seja pelo tipo de negócio executado, pela falta de janela técnica ou dificuldades de mapeamento de interdependências das aplicações, a Tecnocomp indica a realização da migração lógica de dados – Data Center Migration. O processo acontece através da replicação de dados, virtualização e consolidação de servidores. Nessa modalidade, o cliente ainda conta com a fase de planejamento, assim como no Moving, com a diferença que a execução depende da infraestrutura de hardware e softwares mais um time de especialistas.

 

Mas, antes mesmo de avaliar um Moving, Perdigão alerta que é preciso verificar a qualidade atual do Data Center, pois, muitas vezes, as empresas acabam deixando a estrutura desorganizada e isso prejudica não apenas a qualidade do acesso às informações, mas também coloca toda a empresa em risco, visto que uma má estrutura pode gerar até um incêndio dentro do Data Center. “Chega a ser comum a ocorrência de problemas técnicos, por isso sempre realizamos o diagnóstico para melhoria da estrutura física já existente”, destaca o executivo. O importante é ter certeza de que tudo está funcionando e que as mudanças necessárias sejam feitas seguindo os rígidos padrões de qualidade e segurança.

 

>> Panorama