>> Mercado

Muitas empresas não analisam os dados armazenados em suas bases

Nessa era de abundância de dados destaca-se a importância do Fast Insight nas empresas, mas a dificuldade está em achar um profissional capacitado para esse fim

Por: Redação, ⌚ 14/05/2020 às 15h22 - Atualizado em 15/05/2020 às 14h03

A quantidade de dados gerados diariamente é algo impressionante e, geralmente, demanda que um profissional precise fazer o serviço de carregar dados/dashboards, fazer leituras adequadas e tirar conclusões. Em uma grande empresa, a área de TI até pode colocar um produto de Self-BI (Self-service Business Intelligence) para os usuários não técnicos, mas é necessário dar um treinamento para que aprendam a usá-lo. Desta forma, é possível “liberar a TI” para que faça outras coisas.

 

Quando se pensa na corporação como um todo, além de ser muito dispendioso ter produtos de Self-BI, perde-se muito tempo com a falta de método no processo, assim como se perdia com as planilhas soltas. Inteligência envolve aprendizado e reciclagem constantes. Ressalta-se que Dashboard não é BI. É, sim, parte importante do processo de BI, mas não permite obtenção de conhecimento novo, não é processo inteligente por si.

 

Então, quem deve atuar nessa nova era de abundância de dados? Podem ser os líderes de áreas, mas devidamente treinados para o chamado Fast Insight, determinante na receita de sucesso das empresas que quiserem competir em um futuro próximo. O cenário ideal é ter um profissional dedicado apenas a este fim de “subir bases de dados” para o teste de suas hipóteses e obtenção de insights. É um processo que envolve várias etapas, onde a quantidade e qualidade dos gráficos são fundamentais para o sucesso dos resultados. Quanto mais rica e adaptável for a biblioteca de gráficos, mais resultados se obtêm do processo de Fast Insight.

 

Assim sendo, a união de processos de dashboards com produtos de Fast Insight darão às companhias o verdadeiro poder do Business Intelligence. As companhias também devem considerar investimentos em profissionais de Data Science e IA (inteligência artificial). A conclusão mais óbvia é que esse investimento todo vale a pena – produtos com o conceito de Fast Insight deveriam ser prioridade por darem um retorno muito rápido, não exigirem implantação e serem carregados de gráficos prontos, o que os torna acessíveis à grande maioria das companhias do mercado, em questão de dias.

 

Só que há um porém: As empresas estão com dificuldade para contratar este “cientista de dados”, ou seja, possuem milhões de dados armazenados em suas bases, mas não tiram conclusões dos mesmos. É difícil demais achar um profissional adequado que entenda de números e dos negócios da empresa ao mesmo tempo.

 

Uma solução chegou – A startup InfoGo acaba de lançar um aplicativo inédito que faz este trabalho com maestria e dispensa a necessidade de um cientista de dados nas companhias. Seus dashboards possuem IA, se adequando a qualquer conjunto de dados, fornecendo insights preciosos, sem que haja necessidade de um estatístico/cientista.

 

O InfoGo cruza 10 milhões de transações em 2 segundos, como nunca se viu. O aplicativo é o mais rápido software de dashboards do mercado mundial, que permite as empresas testarem modelos e novos conjuntos de dados. O InfoGo é o que chamamos de Data Oriented, sendo o único. Os demais são Dash Oriented, onde é necessário montar tudo.

 

  • O novo app pode inclusive ajudar no combate ao Codiv-19, pois possibilita que o gestor de saúde tenha acesso a dados como: número de casos suspeitos, casos confirmados e testes que deram positivo. A startup já disponibilizou o app para este fim gratuitamente, enquanto não passa a pandemia.

 

  • Na área do varejo, por exemplo, o aplicativo otimiza toda a rotina do ponto de venda, podendo fazer isso em diversos segmentos, como educação, construção civil, entre outros.

 

*Por Marcus Taccola, CEO da InfoGo

 

>> Panorama