>> Mercado

87% dos usuários de cartão estão familiarizados com a autenticação por biometria

Com a expansão do comércio eletrônico, estudo realizado pela Visa indica oportunidades a partir da implementação desta tecnologia

Por: Redação, ⌚ 14/01/2020 às 11h34 - Atualizado em 14/01/2020 às 11h34

Estudo da Visa mostra que 87% dos portadores de cartão brasileiros já estão familiarizados com a autenticação por biometria, onde 59% dos consumidores conheciam esses métodos. Em sua segunda edição no Brasil, o estudo apresenta um crescimento do interesse por soluções de biometria e reforça que há demanda e oportunidades para soluções deste tipo. O estudo aponta ainda, que apesar do crescimento explosivo do comércio eletrônico no país, o uso de métodos tradicionais de autenticação, como senhas, ainda pode limitar o potencial do canal digital, diminuindo finalizações de compras ou acessos às lojas virtuais.

 

Conduzido localmente com 500 portadores de cartão de crédito, os resultados da pesquisa ecoam as constatações de um estudo paralelo com portadores de cartão dos EUA e América Latina. Segundo os dados levantados no Brasil, a maioria dos pesquisados já deixaram de comprar online porque estavam sem o cartão de crédito no momento, esqueceram a senha ou não conseguiram fazer login. Além disso, os pesquisados se preocupam com a segurança das senhas e tokens, e tendem a ver a biometria como uma alternativa mais rápida e fácil de usar do que as senhas. Apenas 30% usam uma senha única para cada conta, mas a maioria não: 48% usam diversas senhas.

 

“Entendendo as frustrações ou dores dos consumidores do Brasil, conseguimos desenvolver soluções para resolver essas questões citadas no estudo e apoiar o crescimento do comércio eletrônico”, diz Edson Ortega, vice-presidente de risco da Visa do Brasil. “Os consumidores querem soluções rápidas, convenientes e seguras para comprar online, e as pesquisas indicam que a biometria pode ter um papel importante na melhora dessa experiência”, completa.

 

 

Mais simples, forte, rápida e segura

 

Quando uma compra é abandonada no carrinho, todos perdem – o consumidor, o varejista e o emissor do cartão. A biometria pode ser uma alternativa, pois não depende da memória do consumidor ou de sua habilidade em gerenciar diferentes de senhas, de diferentes contas.

 

Na pesquisa, a maioria dos portadores de cartão já conhecia e via com bons olhos a tecnologia biométrica, 82% consideraram a biometria mais rápida e 85% disseram que ela era mais fácil de usar. O reconhecimento por impressão digital já tinha sido usado por 88% dos brasileiros pesquisados, sendo que 66% citaram usar regularmente. Sobre o reconhecimento de voz ou facial, 16% disseram já ter usado cada uma dessas modalidades. Entre os consumidores brasileiros, o reconhecimento por impressão digital tem um nível de uso similar aos latino-americanos, enquanto as outras formas são menos usadas.

 

De modo geral, a biometria é considerada mais segura do que os métodos tradicionais, sendo a impressão digital o método com maior percepção de segurança (95%). Seguidos pelo reconhecimento de íris (90%), facial (86%) e venal (84%).

 

O papel dos emissores de cartão no uso de biometria

 

A maioria dos consumidores espera que os emissores e as redes de cartão de pagamento ofereçam opções de autenticação de pagamento com biometria para compras online. Embora alguns consumidores se preocupem com o armazenamento e o roubo de dados biométricos, existe um interesse claro no uso de biometria em futuros pagamentos.

 

As instituições que emitem cartão têm um papel importante na oferta de opções de autenticação por biometria, especialmente por serem considerados os mais confiáveis para armazenar informações biométricas. Sessenta e nove por cento (69%) dos brasileiros pesquisados usaram biometria na semana anterior à pesquisa para acessar serviços bancários ou efetuar um pagamento. Mais de 90% dos consumidores brasileiros disseram que estariam mais propensos a usar biometria se a opção fosse oferecida por seus bancos ou instituições financeiras, enquanto cerca de 76% dos brasileiros disseram que, à medida que biometria se popularizar, eles trocariam de instituição se a entidade atual não oferecer tais opções.

 

“Apoiamos nossos parceiros como os emissores de cartão e varejistas a pensar e desenvolver soluções de segurança que sejam mais fluidas e diversas, tudo para atender às necessidades dos seus consumidores. Qualquer que seja a modalidade de biometria, ela deve ser simples e oferecer uma jornada descomplicada”, completa Edson Ortega.

 

“Os consumidores estão dispostos a abandonar as senhas e simplificar os processos de autenticação. É preciso modernizar o processo de checkout de compras online, por exemplo. Com a disponibilidade e o custo acessível de métodos de autenticação mais fortes e simples, como a biometria, a Visa acredita que a indústria poderá reduzir o uso de senhas em alguns anos”, conclui o executivo.

 

>> Panorama