>> Mercado

48% das micro e pequenas empresas brasileiras planejam atualizar parque de PC

Levantamento da IBOBE CONECTA, encomendado pela Dell, mostra que a maioria do parque computacional nessas companhias (52%) têm equipamentos com dois a três anos de uso e 59% levam em conta a opinião dos colaboradores na hora de adquirir

Por: Redação, ⌚ 05/06/2017 às 16h03 - Atualizado em 05/06/2017 às 16h03

Uma pesquisa do IBOPE CONECTA, encomendada pela Dell, identificou que metade (48%) das micro e pequenas empresas no Brasil planeja a compra de um ou mais computadores em até seis meses e outras 31% não descartam a possibilidade de adquirir novos PCs para atender demandas específicas.

 

O estudo, que entrevistou 401 profissionais responsáveis pela compra de computadores em empresas com até 99 funcionários de todo o território nacional, identifica ainda que, entre as companhias que querem adquirir um novo PC, 57% estão dispostas a comprar um novo notebook. Ainda de acordo com o levantamento, o parque de computadores de micro e pequenas empresas tem, na maioria dos casos, de dois a três anos. Dessas companhias, só 37% possuem políticas para trocas periódicas de PCs.

 

“Um dado que chama atenção nesse estudo é o fato de que 59% dos entrevistados afirmam que a empresa leva em conta a opinião dos próprios colaboradores na hora de comprar um novo computador. O que reflete um entendimento, por parte dessas companhias, de que o PC representa hoje uma ferramenta fundamental para garantir a produtividade dos profissionais e a satisfação deles com o trabalho”, pontua Diego Puerta, Vice-presidente para Consumidor Final e Pequenas Empresas da Dell Brasil. “A Dell já há alguns anos percebeu esse movimento e tem criado computadores para uso profissional com design e funcionalidades que atendam aos anseios desse usuário”, complementa.

 

A pesquisa do IBOPE CONECTA identifica também que 54% das companhias entrevistadas permitem que os funcionários usem o computador pessoal para trabalhar. Entre elas, a maioria (44%) acredita que isso aumenta a produtividade das equipes. Por outro lado, 23% das companhias entrevistadas não autorizam o uso de PCs pessoais para o trabalho e, entre elas, 44% justificam que a principal preocupação é a de evitar riscos associados à segurança.

 

Um dado que chama a atenção é o fato de que 65% das micro e pequenas entrevistadas não permitem o acesso a arquivos e documentos que estão na rede corporativa por meio de computadores pessoais. Apesar disso, a maioria (62%) permite o acesso a e-mails corporativos desses mesmos equipamentos.

 

O levantamento aponta ainda que que entre as empresas que autorizam o acesso à rede corporativa pelos computadores pessoais dos colaboradores, 57% têm políticas específicas de acesso, enquanto que outros 16% não possuem, mas planejam implementar nos próximos seis meses. Ainda entre as empresas ouvidas no estudo, 58% permitem que os profissionais trabalhem de forma remota, mas, em média, só 23% dos funcionários trabalham efetivamente nessa modalidade.

 

>> Panorama