>> Governo

Parque Tecnológico de SP ganha novo projeto

Com investimento de até R$ 100 milhões, a farmacêutica Libbis promoverá inovações em áreas como nanotecnologia, TI e conexões no setor de Saúde

Por: Redação, ⌚ 26/04/2017 às 15h53 - Atualizado em 26/04/2017 às 15h53

O Parque Tecnológico do Estado de São Paulo, localizado na capital paulista, começa a receber novos empreendimentos, com é o caso do Centro Tecnológico da Libbs Farmacêutica, lançado no dia 20 de abril, no Palácio do Governo. A cerimônia de lançamento contou com a participação do Governador do Estado de S. Paulo, Geraldo Alckmin e de outras figuras e parceiros, responsáveis pelo processo de desenvolvimento.

 

O centro da Libbs, indústria farmacêutica 100% naciona, será o primeiro projeto a chegar ao Parque. Com investimento na ordem de R$ 100 milhões, o projeto foi idealizado para promover conexões no setor da saúde, além de centros de pesquisas; nanotecnologia; novos fármacos; tecnologia da informação e usabilidade e comunicabilidade para pessoas com deficiência.

 

Quando pronto, ele unificará as operações das áreas de negócios, administrativa, jurídica, regulatório, patentes e pesquisa clínica com a de desenvolvimento galênico e de fármacos.

 

“Foi um grande dia. Um investimento estratégico vem ao encontro da vocação do Estado como grande centro de pesquisas, desenvolvimento, inovação e geração de oportunidades. Na cidade de São Paulo, temos o Parque Tecnológico do Jaguaré, com uma boa vizinhança: Instituto Butantan, USP e Instituto de Pesquisas Tecnológicas”, destacou Alckmin.

 

De acordo com o Presidente Executivo da farmacêutica, Alcebíades Athayde Junior, a intenção é construir a nova unidade em um modelo de alta tecnologia, inspirado no prédio do Sanford Consortium, em San Diego, Estados Unidos.

 

“O nosso edifício terá uma arquitetura que estimula a criatividade e a interação entre os profissionais. Quando estivermos presentes no Jaguaré, seremos vizinhos de outros centros de desenvolvimento da indústria, quando eles estiveram por lá, e também da USP, do Instituto de Pesquisas Tecnológicas e do Butantan”, explica Junior.

 

O presidente reforça que com esse espaço, a Libbs terá uma nova dinâmica no desenvolvimento de seus produtos, principalmente pela oportunidade de interagir com startups do setor. Para ele, a proximidade com esse grupo acelera algumas etapas de projetos que, às vezes, demandam mais tempo para serem desenvolvidos internamente. “Quando trabalhamos com startups, temos uma dinâmica diferente de troca, um olhar de fora que nos ajuda a pensar fora da caixa”, afirma.

 

O empreendimento conta com apoio da Investe São Paulo, a agência de promoção de investimentos e exportações ligado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de São Paulo. “Temos acompanhado a Libbs desde o início do projeto. Ele é tratado com prioridade pela nossa equipe pelo impacto que deve gerar na economia, tanto pela inovação quanto pelo emprego de capital humano altamente qualificado”, explica Ermínio Lucci, diretor da Agência.

 

>> Panorama