>> Finanças

Nubank abre em Berlim seu primeiro escritório internacional

Baseado no legendário espaço de coworking St. Oberholz, no bairro de Mitte, o time da fintech vai focar seus trabalhos em infraestrutura e engenharia de dados

Por: Redação, ⌚ 13/12/2017 às 15h21 - Atualizado em 13/12/2017 às 15h21

O Nubank quer inovar ainda mais o mercado financeiro no Brasil e, para isso, a empresa está abrindo o seu primeiro escritório internacional de engenharia, em Berlim, na Alemanha. “Berlim é uma capital altamente conectada com a comunidade de tecnologia de toda a Europa. Com a afinidade cultural e filosófica do nosso time de engenharia com o que vemos hoje em Berlim, essa foi uma aproximação bastante natural”, afirma Edward Wible, cofundador e CTO do Nubank. “Nós queremos nos conectar com a experiência e a inovação do mercado europeu, e assim alcançar mais engenheiros que tenham interesse no que estamos construindo aqui no Nubank”, completa.

 

Em seu estágio inicial, o escritório está localizado no legendário espaço de coworking St. Oberholz, no bairro de Mitte. Um grupo de quatro engenheiros do Brasil foi realocado para a Alemanha com o objetivo de iniciar a operação. “A nossa cultura é um dos grandes diferenciais do Nubank, e nós queremos ter certeza que ela está sendo replicada da mesma maneira, mesmo com a distância entre os dois escritórios”, explica David Vélez, fundador e CEO do Nubank. A empresa também fez suas primeiras contratações locais, que incluem a chegada de Gavin Bell, engenheiro sênior e líder técnico, que trabalhou por mais de 3 anos à frente do time de data platform do Soundcloud.

 

O time europeu vai ter como foco inicial o trabalho em infraestrutura e engenharia de dados. Eles não trabalharão diretamente com o time São Paulo, mas compartilham a mesma visão de criar produtos que reduzam a complexidade para devolver aos clientes o controle sobre suas vidas financeiras.

 

No Brasil, o Nubank tem atualmente 110 engenheiros de software, de um total de 750 funcionários – o que faz deles a segunda função de maior peso na empresa, atrás apenas do atendimento ao consumidor. “Nós temos um imenso orgulho do time que reunimos e vamos continuar contratando no Brasil, mas acreditamos que adicionar um novo mercado, especialmente um com tantas afinidades culturais como Berlim, é uma estratégia importante de diversificação e crescimento”, acrescenta Wible.

 

O Nubank quer continuar contratando desenvolvedores tanto no Brasil quanto em Berlim, e Vélez também não descarta a possibilidade de expandir para outras cidades no futuro:  “Estamos construindo um dos melhores times de engenharia do mundo aqui no Nubank. Por isso, temos que ir onde os melhores talentos estão.”

 

>> Panorama