>> Finanças

Itaú Unibanco utilizará biometria facial em financiamento de veículos

Solução digital reduzirá fraudes ao assegurar que dados enviados pela concessionária estão de acordo com quem solicita o crédito

Por: Redação, ⌚ 05/04/2019 às 11h28 - Atualizado em 05/04/2019 às 11h28

O Itaú Unibanco implantará uma solução digital para aprimorar a segurança nas operações de financiamento de veículos. A nova ferramenta utilizará a tecnologia de biometria facial com o objetivo de evitar fraudes e garantir que não ocorram problemas na aprovação e liberação de crédito para os clientes que desejam comprar carros novos e usados.

 

“O investimento em tecnologia para desenvolver soluções inovadoras visa desburocratizar o processo de compra e venda de veículos, melhorar a experiência de consumo e, consequentemente, a eficiência de toda a cadeia automotiva. Seguimos esta premissa com a missão de facilitar a jornada do cliente e do lojista, tornando a operação mais digital para garantir um processo ainda mais seguro e ágil para todos”, afirma Rodnei Bernardino de Souza, diretor do Itaú Unibanco.

 

A novidade estará disponível para os mais de 10 mil pontos de venda em que o Itaú está presente a partir abril de 2019.

 

Como funciona

 

Todo processo de concessão de crédito automotivo feito nas concessionárias e lojas parceiras conta com uma plataforma do Itaú em que o cliente preenche seus dados em conjunto com o lojista e realiza o envio de documentos para solicitar o financiamento junto ao banco.

 

A tecnologia utilizará os dados já fornecidos pelo cliente para validar a formalização do contrato, sem impactos na agilidade do processo existente. Logo após o envio das informações preliminares, o cliente será contatado automaticamente pelo Itaú via e-mail e SMS com instruções para que possa ativar o sistema de câmera de seu celular e capturar uma foto instantânea que ajudará a validar a concessão de crédito.

 

A principal finalidade da nova ferramenta será assegurar que não aconteça nenhum tipo de fraude de manipulação de documentos durante o processo. “No futuro, a medida visa tornar todo o fluxo ainda mais rápido para o cliente, com a possibilidade de envio de uma quantidade cada vez menor de documentos necessários para realizar a proposta de financiamento”, completa Rodnei.

 

 

>> Panorama