>> Finanças

Consumidores confiam em robôs para orientações financeiras

Pesquisa da Accenture aponta crescimento da demanda por “robô advisor” e desafios para a indústria financeira

Por: Redação, ⌚ 09/06/2017 às 12h06 - Atualizado em 09/06/2017 às 12h06

A Accenture apresentou nessa semana, durante o Ciab 2017, sua pesquisa global Distribution & Marketing Consumer, que aborda aspectos como a experiência do cliente e a transformação digital dos bancos e das empresas de serviços financeiros. O estudo mostra que 7 em cada 10 consumidores estão dispostos a utilizar serviços baseados em “robô advisor” – consultoria e serviços gerados por computador, sem orientação humana – para seus serviços bancários, de consultoria financeira e seguros.

 

Os consumidores indicaram que os principais atrativos para o uso de plataformas robo-advice seriam a perspectiva de serviços mais rápidos (39% globalmente e 46% no Brasil) e mais baratos (31% globalmente e 30% no Brasil), além de considerarem a inteligência dos computadores mais imparcial e analítica que a dos humanos (26% globalmente e 25% no Brasil).

 

No entanto, o estudo também revela que quase dois terços dos consumidores ainda buscam a interação humana nos serviços financeiros, especialmente para lidar com reclamações (68% globalmente e 84% no Brasil) e para esclarecimentos sobre produtos complexos, como hipotecas (61% globalmente e 80% no Brasil).

 

>> Panorama