>> Destaque - Mercado

Veeam consolida atuação no mercado brasileiro

Mesmo em um cenário de crise econômica, companhia suíça cresce 76% em relação ao ano anterior e amplia número de colaboradores regionais; base de parceiros salta de 670 cadastrados, em 2017, para mais de 960 nesse ano

Por: Alexandre Finelli, ⌚ 17/05/2018 às 12h46 - Atualizado em 17/05/2018 às 15h47

Nem mesmo um cenário de crise econômica e política tem contido os investimentos da Veeam no Brasil. A companhia cresceu localmente 76% em relação ao ano anterior e tem boas expectativas para o futuro na região, a considerar o aumento significativo do número de parceiros e de colaboradores locais. Para se ter uma ideia, em 2017 eram 670 cadastrados e hoje o número ultrapassa os 960, além de serem 22 profissionais alocados no Brasil e outros remotamente.

 

Segundo Rodrigo Aliaga, Channel Management Brazil da Veeam, esse primeiro quarter do ano fechou com um recorde de vendas, sendo o melhor da história da companhia no País. Aliaga é consciente que fatores do mercado externo, como a flutuação do dólar, impactarão os negócios em algum momento, mas acredita que os investimentos não irão cessar, apenas adiar por um período. “Além disso, é um ano de Copa do Mundo e eleições, que podem dividir o ciclo de investimentos especialmente no setor de Governo”, acredita.

 

“Muitas empresas enxergam a Veeam como uma forma de conseguir mais eficiência operacional”, afirma Jorge Ribkin, country manager da companhia no Brasil. O executivo disse, durante a Conferência anual da empresa que ocorreu essa semana em Chicago, que o crescimento é resultado do novo posicionamento da Veeam no mercado.

 

Sem mencionar as expectativas de crescimento para esse ano, (ousadas, segundo Ribkin) a companhia tem como alvo empresas dos setores Financeiro, Telecom e Saúde, destaque para essa última, cujo nível de maturidade evoluiu muito nos últimos anos tornando os investimentos mais significativos. Um de seus grandes clientes nesse setor é a Unimed.

 

Reposicionamento de mercado

 

De fato, a Veeam é reconhecida pela grande maioria como uma empresa de backup. Segundo Ribkin, isso ocorre por ela ser apontada como uma das líderes do quadrante do Gartner nesse quesito. “Quando os clientes entendem a forma como lidamos e protegemos os dados, se surpreendem”, disse o executivo. Mas isso está mudando.

 

A companhia, que tem hoje clientes de grande porte como Telefonica, TIM, Volvo, British Telecom, entre muitas outras, vem se consolidando como uma grande fornecedora de tecnologias para o mercado Enterprise. “Nesse último ano, fechamos mais projetos de mais de US$ 500 mil que nos últimos seis anos combinados”, explica Ribkin.

 

Para Sara Wilson, Channel Director Latam da companhia, os clientes já estão enxergando a Veeam como uma empresa de gestão de dados. Essa visão começou a mudar a partir do momento em que diversas instituições começaram a sofrer com a perda de informações e viram na empresa uma forma de reduzir prejuízos. “Estudos mostram que problemas de disponibilidade não planejados custam às organizações cerca de US$ 21 milhões por ano”, complementou.

 

Outro fator que tem contribuído para esse novo direcionamento é a aliança global feita com grandes players de mercado, como HPE, IBM, Microsoft, NetApp, Pure Storage, Dell EMC, Cisco, VMware, entre outras. “Essas marcas ajudaram a colocar a Veeam em evidência e despertaram mais o interesse das empresas em nos procurar”, finaliza Sara.

 

* Alexandre Finelli viajou para Chicago a convite da Veeam

 

>> Destaques