>> Destaque - Mercado

Stefanini registra faturamento de R$ 3 bilhões em 2018

Países de língua espanhola foram os que mais cresceram na operação global da companhia, enquanto que Brasil, impactado com cenário político-econômico, terá que buscar melhores resultados em 2019

Por: Léia Machado, ⌚ 30/11/2018 às 15h35 - Atualizado em 30/11/2018 às 15h35

Transformação digital, Indústria 4.0, experiência do cliente, inovação e segurança cibernética. Esses foram os pilares intensos de trabalho da Stefanini durante o ano de 2018 e seguem como prioridade para a gigante nacional de tecnologia em 2019. A companhia tem expectativa de fechar esse ano com faturamento de R$ 3 bilhões, alta de 7% ante os R$ 2,8 bilhões registrados em 2017.

 

Das quatro regiões em que a Stefanini atua – Brasil, América Latina, Estados Unidos/Ásia e Europa, a que mais cresceu foi a de Latam (países de língua espanhola), com índice de 25%. No Brasil, o crescimento geral se manteve próximo ao do ano passado. “Em 2019, meu desafio é ainda maior, pois temos a responsabilidade de trazer mais inovação para nosso país, não só exportar”, destaca Monica Herrero, CEO da Stefanini Brasil.

 

Na visão do fundador e CEO Global da companhia, Marcos Stefanini, 2018 foi um ano complicado em função de todo o cenário político-econômico no país, mas as conquistas dos resultados refletem o trabalho intenso de toda equipe. “Temos que tirar o Brasil do fundo do poço. O potencial interno é enorme, mas temos um governo que joga contra, o que dificulta muito nosso trabalho. De qualquer forma, enxergamos um cenário melhor em 2019”, pontua.

 

A companhia desenvolveu uma série de projetos usando metodologias ágeis, inteligência artificial, analytics, design thinking, BPO digital e segurança. “Precisamos nos reinventar o tempo inteiro para atuar cada vez mais conectados, colaborativos e com o objetivo de melhorar a experiência do cliente. É uma questão de sobrevivência e de transformação para acompanhar os rumos da nova economia, cada vez mais digitalizada”, completa Marco Stefanini.

 

Olhar além da fronteira

 

Pelo quarto ano consecutivo, a Stefanini aparece como a 5ª empresa brasileira mais internacionalizada no Ranking FDC das Multinacionais Brasileiras 2018. A Stefanini é a 1ª colocada em número de países em que atua e a 2ª com maior índice de ativos, que representa o percentual de ativos localizados no exterior em relação ao valor total.

 

“Internacionalização é um foco importante que temos há algum tempo e deveria ser um foco do Brasil. Não podemos ficar isolados do mundo. Para nós, isso é muito importante, principalmente quando temos parceiros de alto valor agregado, que nos permitem a vender tecnologia no mesmo padrão”, destaca o fundador da empresa.

 

Desde 2015 a Stefanini vem realizando uma série de aquisições e joint-ventures para ampliar sua participação em várias verticais de negócio. A mais recente é a compra da Intelligenti, empresa que oferta soluções de inteligência artificial direcionadas para gestão de ações trabalhistas.

 

Ao longo desse ano também chegaram ao grupo a Estatística Segura (ES), que transforma dados coletados em insights para geração de novos negócios, e a Magma, startup multidisciplinar especializada em tecnologia da informação para o segmento de saúde. As duas startups estão trabalhando diretamente com a unidade Stefanini Health sob a responsabilidade da Stefanini Scala, empresa da Stefanini que disponibiliza tecnologias como computação cognitiva, digital marketing e social business.

 

“Teremos uma postura ainda mais agressiva para se tornar uma empresa altamente competitiva no ecossistema de inovação. Para o próximo ano, esperamos mais novidades que possam contribuir com o nosso crescimento e acelerar o nosso processo de internacionalização”, completa Marco Stefanini.

 

>> Destaques