>> Destaque - Mercado

Previsões IDC apontam avanço de 4,9% na TIC brasileira

De acordo com a consultoria, o crescimento com um todo de Tecnologia da Informação e Comunicação é dividido em partes, em que a TI avançará 5,8% sob efeito do crescimento de nuvem e aceleração do mercado de software, enquanto a TI Empresarial crescerá 7,6%

Por: Léia Machado, ⌚ 07/02/2020 às 13h03 - Atualizado em 07/02/2020 às 13h10

De acordo com o IDC Predictions Brazil 2020, o mercado de Tecnologia da Informação e Comunicação terá um avanço de 4,9%, número que se mantém no comparativo do ano passado. A consultoria divide o setor de TIC como um todo em partes, em que a TI avançará 5,8% com sob efeito do crescimento de nuvem e aceleração do mercado de software, enquanto a TI Empresarial crescerá 7,6%. Já o setor de Telecom terá um crescimento discreto de +0,7%, impulsionado pelos serviços de dados.

 

O destaque do relatório é o avanço do mercado de software. De acordo com Pietro Delai, Latin America Program Manager-Cloud & Software da IDC, tudo está virando software no mundo da tecnologia e passou de 12% para 18% em dez anos em toda América Latina.

 

“Existem 3 modalidades de entrega de softwares: a tradicional com uma licença perpétua; a de subscrição, em que a empresa paga uma assinatura enquanto usa; e no modelo SaaS, como serviço. Isso demonstra que é um setor em evolução e de grande importância”, explica Delai.

 

O mercado global de TIC em 2019 ficou na casa de US$ 3.8 trilhões, com Estados Unidos em primeiro lugar representando um mercado de US$ 1,23 trilhão, a América Latina representa 6,4% do investimento no mundo, com US$ 242 bilhões. O Brasil representa 36% do mercado latino-americano e está na 8ª posição no ranking global, representando um montante de US$ 86 bilhões.

 

Para esse ano, a IDC destaca as previsões mais significativas no mercado:

 

#1 – Segurança

 

O tema de Segurança da Informação continua no topo das prioridades dos decisores, representando quase 60% das organizações da pauta estratégica das empresas. A LGPD é uma grande responsável pelos investimentos, isso porque 2/3 das organizações estarão em processo de adequação ao longo de 2020.

 

Investimentos em segurança avançarão, alavancados por consultorias e serviços especializados, que têm crescimento esperado de 9,6% em 2020, atingindo US$ 456 milhões. A atualização/adequação de aplicações gera um impacto positivo no mercado de desenvolvimento customizado, que deve alcançar US$ 968 milhões este ano, numa retomada mais acentuada a partir de 2021 que se conecta ao movimento de modernização de aplicações e de Cloud.

 

#2 – Analytics e Inteligência Artificial

 

Para a IDC, Analytics e AI estão cada vez mais entrelaçados, buscando simplificar o consumo de um volume crescente de informações e gerar mais insights para os negócios. As projeções mostram que os projetos nessa área serão menores e mais direcionados, a fim de resolver uma dor e, então, avançar para a próxima demanda.

 

As ferramentas Open Source ganham espaço, num modelo em que as empresas privilegiam o autosserviço e a autonomia para criação. Ainda assim, cerca de 64% das empresas pretendem contratar consultorias especializadas (de TI ou de negócios) para auxiliá-las, um movimento que promoverá avanço de 6,2% neste ano para este tipo de serviço.

 

Já as soluções de Software voltadas para Analytics e AI crescem 11,5% e, juntas, devem somar US$ 548 milhões este ano.  em 2020.

 

#3 – Cloud computing

 

De acordo com as previsões da IDC, a nuvem pública tem sido o centro das discussões sobre o tema. Atualmente, mais de 2/3 das companhias têm algum tipo de iniciativa nesse modelo. O mercado de nuvem pública no Brasil deve alcançar US$ 3,5 bilhões em 2020, o que representa um crescimento de 36,6% sobre o ano anterior.

 

A nuvem privada, por sua vez, atende necessidades mais específicas de modernização e controle, comuns em algumas verticais ou em empresas que operam ambientes heterogêneos e complexos. Em grandes empresas é possível identificar até 25% do orçamento externo de TI voltado para modelos de nuvem privada. A adoção desse modelo continuará em ascensão, fazendo com que este mercado atinja US$ 1,3 bilhão neste ano – impulsionado principalmente por empresas de grande porte e pela vertical de finanças.

 

O avanço acelerado para a nuvem – por vezes, com baixo valor agregado – gerou desafios de gestão, otimização e disponibilidade que precisam ser endereçados. Estudos da IDC apontam que mais de 80% das empresas consideram que esses temas são motivadores importantes para contratação de serviços gerenciados para nuvem.

 

A utilização de múltiplas nuvens também corrobora com a necessidade de maior controle sobre os recursos. Atualmente, das organizações que utilizam IaaS em nuvem pública, cerca de 41% fazem uso de mais de um provedor.

 

A estimativa para 2020 é que os serviços gerenciados voltados para ambientes de nuvem totalizem R$ 1,2 bilhão, o que representa um crescimento de quase 40% contra o ano anterior. Esse total é oriundo da conversão de serviços focado em ambientes tradicionais para ambientes de nuvem.

 

#4 – Aplicações

 

O avanço da nuvem dentro das organizações tem se deparado com aplicações ainda não modernizadas. Atualmente, apenas 27% das aplicações já estão modernizadas em arquiteturas Cloud-enabled.

 

A necessidade de modernização de aplicações acelera de maneira importante e as arquiteturas corporativas deverão ser atualizadas para integrar capacidades de PaaS. Em 2020, veremos a aceleração de PaaS, que deverá crescer 46% e alcançar US$ 678 milhões no Brasil. Esse efeito deve se estender ao longo de 2021 e 2022.

 

Estudos da IDC mostram que Containers é a abordagem preferida para a modernização. Contudo, além do investimento necessário para modernizar, a familiaridade com a tecnologia ainda é uma barreira: pouco mais de 1/3 das empresas têm algum nível de familiaridade com Containers. O uso de Cointainers em aplicações críticas deve sair de 18% em 2018 para cerca de 26% já em 2020, com perspectiva de atingir 42% das aplicações em 2022.

 

#5 – Internet das Coisas

 

Em 2020, IoT será o elemento central da eutomação nas empresas. As previsões da consultoria apontam que a IoT torna a ferramenta capaz de permitir que a automação seja efetivamente realizada na escala elevada que as organizações necessitam. O crescimento desse mercado, que representará US$ 9,9 bilhões no ano de 2020, será próximo de 20%, considerando Hardware, Software, Conectividade e Serviços.

 

A multiplicidade de conectividade (LoRa, NB-IoT, M2M, entre outros) estará cada vez mais presente no cotidiano das empresas. Mobilidade, Cloud, Inteligência Artificial e Machine Learning são tecnologias que caminham juntas com desenvolvimento de projetos de IoT, bem como necessidades de Edge Computing.

 

Os provedores de soluções precisam estar preparados para justificar o ROI aos executivos de LOB. Diferentes setores têm KPIs diferentes (por exemplo, satisfação do cliente para o setor de saúde, redução de custos no varejo, aumento de produtividade na manufatura). Globalmente, em 2020, 90% das organizações determinarão KPIs de negócio para medir o sucesso de seus projetos de IoT.

 

>> Destaques