>> Destaque - Varejo

ON/OFF: o dilema omnichannel do Varejo

Na visão do Google Brasil, momento de transformação do Varejo, com múltiplos canais de atendimento e avanço do digital, exige boas escolhas e investimento em tecnologias como chatbots, AI, conteúdo de marca e Smart VR

Por: Léia Machado, ⌚ 27/07/2017 às 11h52 - Atualizado em 27/07/2017 às 15h27

Se olharmos o cenário do Varejo brasileiro podemos perceber que o setor vive uma série de mudanças. O comportamento do consumidor é diferente, a sazonalidade ampliou o calendário das vendas, os canais e as possibilidades de hoje são quase infinitas, o ecossistema de parceiros se transformou e a inteligência de mercado também mudou. É, de fato, um momento disruptivo que exige ações e estratégias completamente novas.

 

E para provocar um espírito de mudança, além de mostrar insights que podem gerar novas oportunidades para o Varejo, que o Google reuniu nessa semana, em São Paulo, alguns executivos do setor no evento Sales Innovation. Durante apresentação de abertura, a diretora de Varejo e Tecnologia do Google Brasil, Claudia Sciama, apontou três passos importantes nessa nova jornada do varejista.

 

“É preciso redesenhar a estratégia para obter boas iniciativas de transformação digital em todo ecossistema de atuação. Para isso, os executivos de Varejo precisam mudar a mentalidade, escolher os parceiros certos e investir nas melhores ferramentas tecnológicas”, alerta Claudia.

 

Claudia Sciama, diretora de Varejo e Tecnologia do Google Brasil

 

Segundo ela, o Google está apostando nessa vertical de negócio e destaca que o setor tem hoje inúmeras possibilidades para estar à frente dos concorrentes. “A tecnologia existe e está disponível. A demanda que precisa ser olhada com carinho é a sinergia entre indústria e Varejo, jornada do consumidor e inovação nos negócios”, acrescenta.

 

O que está por vir?

 

Carolina Rocha, head de Insights de Varejo e Tecnologia do Google Brasil, destaca quatro tendências que podem fazer a diferença na estratégia do Varejo: Chatbots, inteligência artificial, conteúdo de marca e Smart VR. Enquanto os robôs de atendimento ajudam a reduzir o atrito durante a interação com o cliente, a inteligência artificial promove uma antecipação de necessidades dos consumidores, amplificando o papel da tecnologia em recomendações de produtos para os clientes.

 

O conteúdo de marca faz a diferença para o varejista que deseja entregar melhor experiência de compra para o consumidor. E o Smart VR eleva o engajamento entre cliente e marcas, além de mudar os formatos de publicidade. Só nos Estados Unidos, são esperados investimentos na ordem de R$ 30 bilhões em realidade virtual (VR) e realidade aumentada (AR) até 2020.

 

“As pessoas compram as mesmas coisas do passado, mas de forma diferente. A influência do online no offline é gigante e pode aumentar nos próximos anos. Hoje, 28% das vendas têm influência do digital e deve chegar a 42% até 2021. Por isso é importante o varejo desenhar estratégias junto aos parceiros e escolher as melhores tecnologias que o guiarão no futuro”, finaliza Carolina.

 

>> Destaques