>> Destaque - Varejo

Novo Varejo: tecnologias conectadas ao ser humano

Durante a NRF 2020, que aconteceu essa semana em Nova York, os pontos mais destacados foram gestão de dados e nuvem, mas com cultura organizacional, engajamento e liderança

Por: Léia Machado, ⌚ 17/01/2020 às 11h55 - Atualizado em 17/01/2020 às 11h58

Conhecida como a feira mais importante do varejo mundial, a NRF completa 110 anos de existência e destaca a tecnologia como ponto fundamental de eficiência do varejo. O evento aconteceu essa semana em Nova York e trouxe diversos insights para os gestores varejistas levarem experiência para o cliente, além de inovação nos negócios e engajamento do consumidor.

 

De acordo com Eduardo Terra, especialista e presidente da SBVC, o que mais se falou na NRF foi a transformação do varejo. Segundo ele, existe um novo varejo chegando com tecnologia e inovação, mas que ainda fala de pessoas. “Nosso maior desafio é conectar inteligência artificial, personalização e novas tecnologias com liderança, com o ser humano, engajamento, cultura e boa gestão.”

 

A gestão de dados mais uma vez ganha destaque, ainda mais nos tempos atuais em que o varejo é um dos setores que mais capturam e armazenam dados. Não só o gerenciamento das informações, mas o armazenamento organizado é um diferencial competitivo para o setor, uma vez que qualquer aplicação para diferenciar ou personalizar um cliente é a premissa de uma estratégia bem conduzida de venda.

 

O que os especialistas vêm destacando há algum tempo é a importância no tratamento desses dados, em que aspectos como privacidade, segurança e integração de plataformas são os pontos mais destacados para o sucesso da personalização. No Brasil e na Europa, regulações como a LGPD e GDPR estão sendo tratadas de forma mais equilibrada, diferente dos Estados Unidos que esse ano têm falado mais em esferas estaduais, o que dificulta as adequações de estado a estado.

 

Outro desafio para as empresas de varejo é adequar plataformas e sistemas legados ao mundo atual da transformação digital que vem com forte apelo para uso de tecnologias móveis, em diferentes dispositivos de IoT, com conexões em 5G e ambientes na nuvem. Especialistas apontam a necessidade de uma rede mais robusta, com internet e serviços gerenciados em nuvem para melhor inteligência de negócios.

 

Ou seja, estamos falando em um ambiente preparado para acompanhar as novas tendências tecnológicas, que juntas a uma estratégia bem desenhada de negócio e cultura organizacional, pode ser flexível e disponível a fim de ajudar o varejo a entregar experiência ao consumidor, gerando engajamento e fidelidade.

 

Alinhamento de valores entre varejista e consumidor, além de omnichannel e sustentabilidade são outros pontos destacados durante a NRF 2020. A loja física segue sendo muito importante para o varejo criar experiências e memórias, além de ser uma vitrine de inovação e apresentação dos valores da marca para o consumidor.

 

Na visão de Eduardo Terra, após os últimos anos de crise e estagnação, as perspectivas para o varejo brasileiro são boas devido a aspectos como melhora na empregabilidade, confiança do consumidor e estabilidade de renda. “Estamos vivendo um início do ciclo de uma retomada. Com mais empregos, o brasileiro tem mais renda e melhora sua confiança, o que leva ao consumo e movimenta o mercado como um todo”, completa.

 

>> Destaques