>> Destaque - Finanças

Investimentos do setor financeiro em TI somam R$ 19,5 bilhões

Crescimento foi de 5% em relação ao ano anterior, impulsionado pelo aumento na utilização de softwares e serviços em nuvem, que representam 59% do valor total de investimentos; transações com movimentação financeira no mobile banking saltaram 70%, segundo a 26ª Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária

Por: Jackson Hoepers, ⌚ 03/05/2018 às 17h17 - Atualizado em 04/05/2018 às 15h37

Os investimentos e despesas do setor financeiro em tecnologia no Brasil tiveram um aumento de 5% no último ano, somando R$ 19,5 bilhões. Em dólares, a alta representa 15%, o que posiciona o país acima da média mundial, de 3,6%, segundo dados do Gartner.

 

A Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2018, divulgada hoje e realizada em parceria com a consultoria Deloitte, mostra que a indústria financeira deverá destinar boa parte dos investimentos nas soluções de Inteligência Artificial/Computação Cognitiva, analytics e blockchain nos próximos anos. O investimento com software cresceu 17% em relação ao ano anterior, totalizando R$ 9,8 bilhões.

 

Dentre as instituições que responderam à pesquisa, 80% delas investiram em IA/computação cognitiva, 80% em analytics, 75% em blockchain, 55% em NFC e 45% em Internet das Coisas.

 

Mobile banking cresce ainda mais

 

Outro resultado que chama atenção é a participação do mobile banking. A pesquisa da FEBRABAN aponta que houve aumento de 70% nas transações com movimentação financeira por esse canal, subindo para 1,7 bilhão de operações, frente a 1 bilhão no ano anterior.

 

“O investimento maciço da indústria em usabilidade e oferta de novos serviços refletem o desempenho do mobile banking”, afirma Gustavo Fosse, diretor setorial de Tecnologia e Automação Bancária da FEBRABAN.

 

Em termos de participação, o mobile banking conta com 35% das transações realizadas, seguido pelo internet banking (22%). O crescimento dos meios digitais – que saltaram de 4,4 bilhões em 2016 para 5,3 bilhões em 2017–, demonstra a confiança dos consumidores nesses canais.

 

No total foram realizadas 25,6 bilhões de transações através do mobile no último ano, um aumento de 38% em relação a 2016. A participação desse canal no total de transações bancárias aumentou 3,5 vezes desde 2011, confirmando-se como preferido dos brasileiros.

 

O aumento da utilização do mobile banking foi impulsionado pela facilidade de realizar pagamentos e transferências, abertura de contas, solicitação de cartões de crédito e investimento ou aplicações. O pagamento de contas aumentou 85%, alcançando 889 milhões de transações, frente a 479 milhões no ano anterior. As transferências (DOC e TED) subiram 45%, de 277 milhões em 2016 para 401 milhões no último ano. Contratações de crédito saltaram 141%, de 93 para 225 milhões.

 

A comparação de abertura de contas retrata ainda mais a preferência pelo uso mobile: as contas abertas pelo internet banking caíram de 776 mil em 2016 para 26 mil em 2017, já as contas abertas pelo mobile banking saltaram de 591 mil em 2016 para 1,6 milhão em 2017.

 

“Sem dúvida a conveniência é o que permitiu esse aumento de transações e volume pelo canal mobile. O consumidor demonstra cada vez mais confiança nesses dispositivos e o setor vem investindo para oferecer mais funcionalidades e segurança”, completa Fosse.

 

>> Destaques