>> Destaque - Saúde

Instituto Laura Fressatto e MCTIC assinam acordo para validar plataforma de IA

Na primeira etapa, os Hospitais das Forças Armadas receberão o Robô Laura para prever casos de deterioração clínica

Por: Redação, ⌚ 27/03/2020 às 17h08 - Atualizado em 27/03/2020 às 17h47

Na manhã desta quinta-feira (26), Instituto Laura Fressatto, Hospital das Forças Armadas (HFA), Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Hospital das Forças Armadas e Rede Nacional de Ensino e Pesquisa assinaram contrato em Brasília para para promover a aplicação de novas tecnologias de inteligência artificial na área da saúde para futura implementação em hospitais públicos, universitários e filantrópicos no Brasil, melhorando o atendimento dos pacientes em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Na primeira etapa do projeto, a plataforma Robô Laura funcionará em três hospitais das Forças Armadas.

 

O Robô Laura é uma tecnologia implantada em instituições de saúde para identificação precoce dos riscos de deterioração clínica, como a Sepse. Por meio de inteligência artificial e tecnologia cognitiva, faz o gerenciamento de dados da rotina hospitalar e emite alertas para a equipe assistencial, o que melhora a capacidade preditiva, para que os pacientes mais críticos sejam atendidos com prioridade e recebam o tratamento adequado de forma precoce.

 

Ativa desde 2016, o Robô já funciona em 13 hospitais brasileiros e já analisou cerca de 2,5 milhões de atendimentos, reduzindo em 25% a taxa de mortalidade hospitalar. Além de ajudar a salvar 12 vidas por dia, é um instrumento para otimização de tempo e recursos em saúde.

 

“Inovação não precisa só de recursos, precisa de coragem. Hoje nós somos um elenco de pessoas corajosas levando tecnologia acessível para a saúde do nosso país”, afirmou o presidente do Instituto Laura Fressatto, Jacson Fressatto. Ele lembrou que o projeto de inteligência artificial começou depois que sua filha Laura, ainda com 18 dias, faleceu por Sepse. “Ali começou uma grande oportunidade de levar o que eu já conhecia de tecnologia para que aquilo [mortes por Sepse] não acontecesse mais”, explicou. Com a nova parceria, esse propósito vai ganhar escala. “A tecnologia do Robô Laura será levada a um público que precisa de acesso a esses recursos”.

 

A cerimônia de assinatura contou com a presença do ministro do MCTIC, Marcos Pontes, do comandante logístico do HFA, General Rui Yutaka Matsuda, do diretor geral da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa, Nelson Simões, além de outras autoridades.

 

“Partimos aceleradamente para tentar fazer agora, inclusive nessa situação do combate ao coronavírus, para usar o projeto Laura nesse sentido”, afirmou o general Rui Yutaka Matsuda. “Poder participar desse projeto é um grande orgulho que nos engrandece no sentido de poder ajudar a sociedade como um todo”, completou.

 

Prevista para acontecer ainda no primeiro semestre de 2020, a implantação do Robô Laura faz parte do projeto Inova HFA, voltado para apoio e adoção imediata de inovação na saúde.

 

“Esse projeto Laura nasceu de um momento difícil para o Jacson, hoje ajuda muita gente e vai ajudar muito mais no futuro. Essa parceria tem um sentido muito importante”, comentou o ministro Marcos Pontes. “É a utilização da inteligência artificial de uma forma social”, destacou.

>> Destaques