>> Destaque - Mercado

Hiperconvergência e foco no cliente são principais apostas na estratégia de canais da Dell EMC

Segundo Luís Gonçalves, General Manager da Dell EMC, mesmo em meio a fatores econômicos adversos, companhia teve excelentes resultados em 2017 em virtude de manter olhar voltado para necessidades dos clientes; empresa também destaca a demanda do mercado por soluções hiperconvergentes para suportar transformação digital

Por: Jackson Hoepers, ⌚ 29/01/2018 às 15h30 - Atualizado em 29/01/2018 às 15h30

‘2017 não foi um ano fácil. O mundo sofreu um desequilíbrio político-econômico, mas, mesmo assim, a Dell EMC teve um ano espetacular”, afirmou Luís Gonçalves, Commercial Brazil VP e General Manager da Dell EMC, durante sua apresentação no evento direcionado a canais, que ocorreu na semana passada em Cartagena, na Colômbia.

 

Segundo Gonçalves, os mercados mundial e brasileiro apresentaram linhas similares do ponto de vista de tendências e direções. A maior diferença é a velocidade de adoção das tecnologias. “Em virtude da infraestrutura, do capital e da demanda, nos países desenvolvidos há um ímpeto maior em adotar tecnologias como IoT, Analytics, etc”, afirma Gonçalves. “O Brasil, devido a certas barreiras e de um período de recessão, acabou desacelerando essa adoção, mas, em breve, irá retomar esse crescimento”, completa.

 

Para ele, um dos pontos-chave do sucesso da Dell EMC em 2017 está fundamentado no mesmo aspecto: o olhar muito voltado para o cliente. “Muitas empresas se voltam para si mesmas, encantadas com a sofisticação e engenharia das suas soluções, perdendo de vista o cliente nesse processo”, revela. “Nossa meta é sempre buscar maneiras práticas para resolver os problemas reais dos clientes e garantir o maior retorno possível”, afirma o executivo.

 

Resultados do novo programa de Canais

 

Segundo Gonçalves, o processo de integração envolveu a avaliação das melhores práticas em ambos os programas (da Dell e da EMC) para criar um plano de transição, o qual já vem sendo utilizado há um ano. Esse programa permitiu que oportunidades e retenções prévias continuassem a ser realizadas e não se perdessem no processo.

 

“Hoje temos um programa simples, rentável e previsível, que contou, principalmente, com nossa capacidade de execução e transparência perante os canais, para que obtivéssemos sucesso”, revela Gonçalves.

 

De acordo com o executivo, a companhia já percebeu um impacto financeiro maior e os investimentos já superaram os dos anos anteriores. “Isso significa que eles estão trazendo mais negócios para a Dell EMC e acreditando nesse programa. Acima de tudo, os clientes estão satisfeitos com isso”, afirma.

 

“Os parceiros podem contar com nosso endosso para conquistarmos o mercado juntos. Somos uma empresa robusta, com estratégia definida e um amplo portfólio, nossa mete é alcançar resultados cada vez melhores. A oportunidade para 2018 é evidente”, completa Gonçalves.

 

Infraestrutura hiperconvergente

 

Segundo Cláudio Stopatto, diretor para Servidores e Networking da Dell EMC, três grandes transformações impactam o contexto atual da transformação digital: a de TI (com modernização de data centers e automação na entrega de serviços), a da força de trabalho e de segurança de dados.

 

“Somos um data center ambulante, com aparelhos celulares capazes de realizar processos e armazenar informações de forma muito maior que há 30 anos”, afirma Stopatto.

 

Para ele, o departamento de TI precisa entregar vantagem competitiva e isso só pode ser alcançado através do analytics, para gerar insights e, de fato, prover a transformação necessária.

 

“O caminho mais rápido para modernizar a infraestrutura das empresas é optar por sistemas convergentes e hiperconvergentes, que contam com soluções de armazenamento, rede e processamento em um só equipamento”, completa Stopatto.

 

* Jackson Hoepers viajou para Colômbia a convite da Dell EMC.

 

>> Destaques