>> Destaque - Varejo

A corrida da digitalização no Varejo

Pressionados pela mudança de comportamento dos consumidores, líderes varejistas devem alinhar sua mentalidade direcionados para suas estratégias de Transformação Digital; em mais um GS Entrevista, Graça Sermoud recebe Sandra Turchi, sócia-diretora da Digitalents e especialista em e-commerce, marketing digital e consultoria

Por: Jackson Hoepers, ⌚ 07/08/2017 às 16h07 - Atualizado em 07/08/2017 às 16h08

Com a pressão da Transformação Digital, muitas companhias não sabem bem por onde começar, nem como criar uma estratégia de digitalização, ou até mesmo fortalecer iniciativas já implantadas. Assim, conhecer melhor o público pode auxiliar na escolha do canal onde as empresas de Varejo devem investir, seja ele físico, online ou ambos.

 

Para comentar o cenário atual dos e-commerces, do marketing digital e da velocidade das mudanças no setor varejista, o programa Graça Sermoud Entrevista recebe Sandra Turchi, sócia-diretora da Digitalents e responsável pela implantação de uma das primeiras lojas virtuais do Brasil.

 

Confira a entrevista na íntegra abaixo!

 

 

Conflito de gerações e demanda

 

“Empresas devem ouvir os ‘nativos digitais’ para se manterem atuais”, afirma Sandra Turchi. Segundo ela, muitos gestores ainda não compreendem muito bem os caminhos a serem seguidos para iniciar ou avançar na digitalização e deveriam contar com a opinião da geração Millennial, que já se vê inserida nesse mundo.

 

De acordo com Sandra, um dos fatores importantes para garantir o sucesso dos negócios é saber o timing correto para adotar a Transformação Digital. Muitos dos líderes acabam perdendo oportunidades e ficam para trás na corrida contra seus concorrentes, uma vez que suas equipes e estratégia se tornam defasados.

 

Lições para E-commerce

 

“A empresa precisa conhecer bem o consumidor, sua jornada, e atendê-lo sempre bem, independente do canal”, revela Sandra. Para ela, momento atual do Varejo já não separa públicos nos diversos canais, mas permite diferenciar o mesmo consumidor em várias etapas do processo de compra.

 

As companhias devem analisar o caminho preferido pelo seu cliente e adaptar-se a ele, atentando-se à usabilidade, simplicidade de processos e agilidade no atendimento. Tudo isso visa abrir portas para clientes que ainda não estão acostumados com as lojas virtuais, criptomoedas e aplicativos em smartphones.

 

Segundo Sandra, o melhor caminho para sucesso em operações de e-commerce e marketing digital envolve a integração de setores, além do pensamento “all-line”, que combina o online e offline.

 

Agilidade e logística

 

De acordo com a especialista, o processo de entrega dos produtos sempre foi um grande desafio para as varejistas. Nessa etapa ainda são discutidos processos e prazos de entrega que muitas empresas não se veem aptas a cumprir, mesmo com a pressão imposta pelo mercado consumidor.

 

“Veremos muitas mudanças no futuro, visto que muitas das reclamações ainda envolvem a agilidade e precisão na entrega”, afirma Sandra.

 

Desafio das médias empresas

 

“Varejistas que se encontram nesse estágio, geralmente possuem o próprio dono no comando das operações, e se ele lidera essa mudança para o digital as coisas acontecem mais rápido”, revela a especialista. Segundo Sandra, mesmo que nesses casos não haja uma equipe dedicada para determinadas funções, é possível contratar no mercado uma consultoria ou serviços para isso.

 

“Independentemente da idade, é o mindset do tomador de decisão que faz a Transformação Digital acontecer”, completa Sandra.

 

>> Destaques