>> Destaque - Mercado

Cisco Live: empresa enxerga liderança em redes intuitivas

Companhia apresenta ao mercado a rede baseada em intenção e como está preparando todo seu ecossistema para implementar novas tecnologias nos clientes de todo mundo

Por: Léia Machado, ⌚ 28/06/2017 às 13h51 - Atualizado em 28/06/2017 às 14h44

Durante a Cisco Live, conferência da empresa que acontece essa semana em Las Vegas, o CEO Chuck Robbins enfatizou que a empresa está liderando uma nova era de redes que traz soluções e serviços baseados em intenções. Com o lançamento do Cisco Digital Network Architecture (DNA), que contempla hardware e software de rede, a Cisco promete proteção das networks corporativas com nunca se viu antes, além de operações mais flexíveis e uma tecnologia que pode aprender sozinha, se adaptando às necessidades das empresas.

 

 

“Essa nova plataforma pode fazer qualquer coisa ser possível”, enfatiza o CEO durante o evento. “Uma plataforma que pode transformar, inclusive, uma gestão multicloud, modificando a rede fragmentada, complexa e sem controle para uma nova arquitetura, com visibilidade, gestão, inteligência analítica e baseada em intenções”, completa o executivo, que estava muito empolgado durante a apresentação.

 

Aliás, esse lançamento causou grande euforia em todos os executivos da Cisco, a cada passo nas dependências do evento pode-se ouvir os congressistas comentando as aplicações da solução Cisco DNA. “É a maior atualização para redes que já tivemos conhecimento”, pontua David Goeckeler, VP Sênior e General Manager da Cisco.

 

Rowan Trollope e David Goeckeler, vice-presidentes da Cisco

O portfólio conta com o painel de software DNA Center; Network Data Platform, com uma nova série de switches catalyst 9000; e Encriypted Traffic Anaytics, uma análise de dados criptografada para detectar vulnerabilidades na rede.

 

Rede intuitiva?

 

Mas de que maneira esse lançamento pode ser disruptivo para os negócios alcançarem patamares elevados da inovação? A ideia dessa nova arquitetura de rede da Cisco é criar um sistema intuitivo, com recursos de machine learning, antecipando ações, protegendo a empresa contra ataques cibernéticos, além de continuar aprendendo com as experiências dos usuários.

 

“Estamos diante de uma nova era de tecnologias como a computação na nuvem e internet das coisas, que exigem redes independentes, intuitivas e capazes de atuar de uma forma muito inteligente, aprendendo todos os dias e automatizando processos”, acrescenta Ruba Borno, VP e líder da equipe do CEO da Cisco, durante entrevista à Decision Report na Cisco Live.

 

Segundo ela, esse novo posicionamento da Cisco conta com quatro pilares: reinventar a rede, são mais de 3 mil engenheiros trabalhando nesse projeto; cloud computing, para oferecer visibilidade, automação e analytics; segurança, bloqueando ameaças, detectando incidentes e protegendo a rede; e oferta de insights para o negócio a partir de dados.

 

Ruba Borno, VP e líder da equipe do CEO da Cisco, em entrevista à Decision Report

 

Ruba explica que a rede baseada em intenção promete melhorar a disponibilidade e agilidade da rede, o que ajuda as empresas a se adaptarem ao novo universo digital, em que se espera que até 2020 tenhamos 25 bilhões de coisas conectadas. “A ideia dessa nova rede intuitiva é ter um administrador de rede redefinindo toda arquitetura por meio de software automatizado, monitorando, identificando e reagindo em tempo rela as condições da rede.”

 

Quem são os early adopters?

 

De acordo com a executiva, os CIOS liderarão essa jornada dentro das organizações. Conforme os benefícios são percebidos, a adoção será mais massiva. “Nosso trabalho é estar junto dos clientes e parceiros para juntos entendermos essas aplicações e tirar proveito para o negócio. Essa estratégia é global, inclusive no Brasil”, completa.

A Cisco conta com 60 mil parceiros ao redor do mundo e o novo portfólio tende a aumentar a receita dos canais, principalmente devido à plataforma aberta, conclui a executiva.

 

Programa de canais

 

A Cisco anunciou também que seu ecossistema global de clientes, desenvolvedores e parceiros já estão adotando a visão ambiciosa da empresa para uma nova era de conectividade. Ao todo, 75 líderes de empresas globais e organizações estão conduzindo testes de campo a partir dessa nova geração de soluções de rede, incluindo a Universidade Jade de Ciências Aplicadas, NASA, Hospitais Newcastle, Cruzeiros Royal Caribbean Ltd., Scentsy, UZ Leuven e Wipro.

 

Durante a Cisco Live, os novos programas de treinamento foram anunciados para 28 mil profissionais entre engenheiros de rede, desenvolvedores de aplicativos e parceiros de canais. Esses estão entendendo a mudança de hardware para rede centrada em software, direcionando os parceiros de canais a evoluírem suas práticas de rede, desenvolverem novas habilidades e buscarem novas oportunidades de negócios.

 

*Léia Machado viajou para Las Vegas a convite da Cisco

 

>> Destaques