>> Destaque - Mercado

Brasil terá 724,2 milhões de dispositivos conectados em 2022

A previsão faz parte de estudo apresentado pela Cisco, durante o Cisco Live!, realizado em Cancún. O report aponta ainda que, daqui a cinco anos, cada pessoa terá pelo menos três dispositivos conectados. Em contrapartida, o volume de ataques DDoS irá dobrar até 2022

Por: Graça Sermoud, ⌚ 10/12/2018 às 14h13 - Atualizado em 10/12/2018 às 14h13

O Visual Network Index (VNI), apresentado pela Cisco e implementado desde 2005, avalia as principais tendências globais e regionais no mundo da conectividade, comparando dados de 2017 com projeções para 2022. Segundo a pesquisa, daqui a cinco anos, 60% da população mundial estará conectada na internet, enquanto no Brasil esse número é maior, 80%, atingindo 191 milhões de usuários. Em 2017 eram 154 milhões, isto é, 73%. Os dados mostram que o Brasil tende a ter um percentual maior de pessoas conectadas a internet, se comparado aos dados mundiais.

 

O estudo avança na análise do volume de tráfego IP e consequentemente o perfil e o crescimento de uso da internet no mundo.  O tráfego IP global mais que triplica até 2022 e deve atingir 396 exabytes por mês, contra os 122 exabytes em 2017. Isso dá 4,8 zettabytes de tráfego por ano em 2022. O tráfego da Internet em horário de pico aumentará cerca de cinco vezes entre 2017 e 2022, atingindo 7,2 petabytes por segundo. Para se ter uma comparação, o tráfego médio de Internet crescerá cerca de quatro vezes no mesmo período, chegando a 1 petabyte por segundo em 2022.

 

Outro crescimento significativo em quatro anos se dará nas conexões máquina-máquina (M2M). Mais da metade de todos os dispositivos e conexões serão M2M em 2022, contra 34% em 2017. Serão 14,6 bilhões de conexões provenientes de uma grande gama de dispositivos e objetos inteligentes, comparados com os 6,1 bilhões de 2017. As conexões M2M representarão 45% (326.1 milhões) de todos os devices conectados no Brasil em 2022. Em 2017 o M2M representava 29% das conexões.

 

O VNI da Cisco analisa o impacto que usuários, dispositivos e outras tendências terão nas redes IP globais. As velocidades globais de banda larga, Wi-Fi e conexões móveis serão duas vezes maiores, ou até mais. No Brasil a média de velocidade da banda larga fixa crescerá 2,2 vezes, de 13,2 Mbps em 2017 para 29,0 Mbps em 2022. Já a velocidade média Wi-Fi a partir de dispositivos móveis vai crescer 1,8 vez, de 9,3 Mbps para 16 Mbps. E a velocidade média de conexão móvel no país crescerá 3 vezes, atingindo 20 Mbps em 2022.

 

Enquanto isso, o estudo aponta que no mundo as velocidades globais médias de banda larga fixa quase duplicarão, indo de 39,0 Mbps para 75,4 Mbps. As velocidades globais médias de conexão Wi-Fi serão mais de duas vezes superiores, aumentando de 24,4 Mbps para 54,0 Mbps. As velocidades globais médias de conexão móvel vão mais que triplicar, passando de 8,7 Mbps para 28,5 Mbps.

 

Corroborando uma tendência global no uso de vídeos, jogos e multimídia, o Visual Network Index aponta que essas três aplicações representarão mais de 85% de todo o tráfego mundial da internet. O tráfego IP de vídeos irá quadruplicar até 2022. Como resultado, representará uma porcentagem ainda maior do tráfego IP total. No Brasil, o tráfego IP chegará a 5,9 exabytes em 2022, crescendo duas vezes em relação a 2017.

 

Os vídeos responderão por 85% de todo tráfego IP em 2022

 

O tráfego de jogos deverá ser nove vezes maior em 2022 em relação a 2017, passando a representar 4% do tráfego IP total global. Enquanto no Brasil o crescimento deve ser de 4 vezes, representando 3% do total do tráfego IP em 2022. O tráfego de realidade virtual e realidade aumentada irá disparar, com um número crescente de consumidores e empresas usando tais tecnologias. Em 2022, o tráfego de realidade virtual e aumentada atingirá 4,02 exabytes/mês, contra 0,33 exabytes/mês em 2017.

 

Cresce o volume de ataques DDoS

 

Com o crescimento apontado pelo estudo no número de dispositivos conectados, aumentam também os riscos relacionados aos ataques que se beneficiam do avanço da internet de todas as coisas. Um deles são os ataques de DDoS. O estudo avaliou a quanto volume de ataques de DDoS e sua relação com o aumento de tráfego. O número desse tipo de ataque irá dobrar em cinco anos, atingindo a marca de 14,5 milhões por ano. Em 2017, esse número era de 7,5 milhões. Esse ano atinge 8,7 milhões e, no próximo, chegará a casa dos 10,3 milhões.

 

O dado preocupante é que percentualmente a quantidade de ataque aumenta em 174% ao ano e podem representar até 25% do tráfego total de internet de um país enquanto estão ocorrendo. Merece atenção ainda o fato de que o volume médio do ataque de DDoS entre 1-2 Gbps aumenta 37% ao ano, o que é mais rápido do que o tráfego da Internet que evoluiu 33% ao ano.

 

* Graça Sermoud viajou para Cancún a convite da Cisco

 

>> Destaques