>> Colunas & Blogs

Saúde em dia

Por: Graça Sermoud, ⌚ 04/05/2017 às 15h26 - Atualizado em 04/05/2017 às 15h27

Na corrida pela transformação digital, o setor de Saúde vem mostrando fôlego para brigar por melhores posições, se comparado a outros que lideram esse páreo, como o segmento financeiro. A previsão para 2017 é que o gasto total do setor de Saúde no Brasil cresça cerca de 8%. Pode ser bem menos do que se espera de outras verticais, mas é bem mais do que se projeta para o PIB, algo em torno 0,50%.

 

Segundo relatório da McKinsey, alguns aspectos influenciam essa evolução como o envelhecimento da população brasileira, a consequente adesão aos planos de saúde, além da pressão para que seja uma prioridade nacional. Entre os fatores que aceleram o ritmo do setor está, sem dúvida nenhuma, o uso da Tecnologia da Informação em doses cada vez maiores.

 

Entre essas aplicações, se destacam a explosão do big data, a maior disponibilidade de informações, análise de dados mais sofisticada, uso generalizado de sensores e inovações na área de monitoramento. Hoje, qualquer hospital, laboratório ou mesmo clínica médica sabe que conquistar novas posições exige não só eficiência operacional e novos talentos, mas um lugar de destaque na disputa digital.

 

Dois casos recentes ilustram essa verdadeira maratona. O mais interessante ainda, nesses exemplos, é a tecnologia de ponta empregada. O Hospital das Clinicas de São Paulo criou uma plataforma de inteligência hospitalar, utilizando soluções analíticas para desenvolver um sistema de apoio à decisão, que suporte áreas administrativa e assistencial.

 

A informatização do hospital foi um dos grandes alicerces para o convencimento do uso de sistemas analíticos pela equipe assistencial. O objetivo é aprofundar o conhecimento dos dados capturados e transforma-los em ações que gerem resultados estratégicos. A instituição tem um protótipo em funcionamento que deverá entrar em produção ainda no primeiro semestre de 2017.

 

Já o Grupo Fleury está apostando em computação cognitiva para alcançar maior precisão nos diagnósticos e tratamentos de pacientes com câncer. Para isso, está implementando o Watson for Genomics, em parceria com a IBM. Para a Executiva Medica e Técnica do Laboratório, o avanço tecnológico vai ajudar o setor a ser inovador, conscientizando as pessoas sobre a importância de cuidar do corpo, para viver mais e melhor.

 

Os dois cases, além de uma entrevista exclusiva com o presidente da IBM Brasil, Marcelo Porto, estão disponíveis na nova edição da Revista Decision Report, uma leitura indispensável para aprofundar os conhecimentos sobre computação cognitiva e o quanto esse tema está sendo importante, tanto para clientes, quanto para a estratégia da IBM no Brasil.

 

>> Panorama